Produtividade

Como atrair clientes online na Advocacia: técnicas e ferramentas

Tempo de leitura: 27 minutos

Baixe o bônus do CJ

E algumas petições de presente

30 Petições Previdenciárias usadas em casos reais que deram certo

Se o seu escritório não está na internet, você está deixando muito dinheiro em cima da mesa.

Antes da pandemia até era aceitável não ter uma estratégia digital…

Mas agora a falta dela pode ser motivo de fracasso de muitos escritórios!

Inclusive, mesmo que um escritório tenha uma sede enorme no centro da cidade, com colunas imponentes e uma recepção cheia de mármore, se as pessoas não querem ir até lá, não faz diferença.

Talvez um escritório pequeno com um bom site ganhe essa corrida.

A verdade é que atrair clientes online (que já era uma realidade pra muita gente) se tornou essencial pra sobrevivência dos negócios em todo o mundo.

Por isso, os advogados que ainda não tinham surfado na onda da internet tiveram que correr atrás do prejuízo e adaptar seus escritórios e suas rotinas na advocacia.

E a gente sabe que isso pode ser bem desafiador e dar uma dor de cabeça danada…

Por isso, pra te ajudar a começar com o pé direito no mundo digital, vamos te dar um presentão nesse post.

Aqui gente colocou dicas preciosas pra atrair clientes online com ferramentas de marketing digital pra advogados, especialidade da 3MIND, agência de marketing que atende escritórios de todo o Brasil.

São dicas baseadas em informações exclusivas extraídas de +100 escritórios de Advocacia atendidos em todo Brasil!

Então se prepare porque hoje você vai conhecer truques que surgiram a partir de muitos erros e acertos e que vão te poupar um tempo enorme pra começar a captar clientes online.

No fim do post, você já vai saber mais que a grande maioria dos advogados, que ainda vão bater muito a cabeça até conseguir o primeiro cliente pela internet.

E melhor: vai conhecer o caminho das pedras pra começar uma estratégia de marketing jurídico que pode expandir os negócios do seu escritório.

Como fazer marketing jurídico

Tudo começa com um bom site Jurídico, sua “casa digital”

O primeiro passo pra você que advoga e pretende iniciar uma estratégia pra atrair clientes online é ter uma casa digital.

Não faz ideia do que isso significa?

Bom, na metodologia de marketing jurídico da 3MIND, a casa digital é o site do escritório de advocacia.

Lembra o tanto que você caprichou na hora de montar o seu escritório?

Pense em como cuidou de todos os detalhes pra que o seu cliente se sentisse à vontade ao realizar uma consulta…

Às vezes a gente não percebe, mas isso tudo influencia a decisão final: se uma pessoa vai ou não contratar os serviços do seu escritório.

O site do seu escritório também merece todo esse cuidado e carinho.

Afinal, já que a pessoa não pode ir até o seu escritório, principalmente agora na pandemia, o site acaba sendo a única fonte pra ela tirar as primeiras conclusões sobre o seu negócio.

Assim, é através dele que você vai conseguir divulgar os seus serviços e iniciar o relacionamento com seus potenciais clientes na internet.

Por isso, o nosso foco é inicialmente desenvolver um site jurídico incrível pro seu escritório e, a partir daí, usar todas as outras plataformas digitais pra levar as pessoas pra ele.

De novo, vamos lembrar do seu escritório físico.

Depois que você montou ele, o próximo passo mais lógico seria atrair os clientes, não é mesmo? É claro, tudo dentro das normas de código de ética da OAB.

No caso do site do seu escritório não vai ser muito diferente disso, só que você vai usar meios diferentes pra chegar ao mesmo objetivo: atrair clientes.

Pra isso, de modo geral, o que você precisa é garantir que o seu site possui uma aparência de arrasar, imagens bem selecionadas e conteúdos super bem produzidos.

E se você ainda não tem um site, não se desespere!

Aqui a gente te mostra como começar a montar seu site.

Ah, e pra quem já tem um e quer aumentar o sucesso dele, vale super a pena checar se o site já segue todas as dicas que a gente trouxe, principalmente as do passo 4.

Olha só…

Pra criar um site, você deve seguir esses 5 passos:

Passo 1: Escolher um domínio

O domínio é o endereço eletrônico do seu site.

Por exemplo, o calculojuridico.com.br é o domínio do CJ.

É super importante olhar pra esse endereço com bastante carinho porque através dele muito cliente em potencial vai poder descobrir o seu escritório.

Dá pra fazer essa escolha através do Registro.br. Nessa plataforma, você consegue descobrir quais nomes estão disponíveis e, depois, registrar o seu favorito.

Dica: Geralmente, o domínio é o próprio nome do seu escritório.

Depois que escolher, você só precisa comprar o domínio. E nem se preocupe porque os valores são super tranquilos e a compra garante que ninguém utilize o mesmo endereço.

Passo 2: Selecionar uma hospedagem e um construtor de página

Pra que seu site fique acessível ao público, é necessário:

  • Uma plataforma que armazene todos os elementos dele, a tal da “hospedagem”
  • Uma plataforma capaz de construir as páginas do site

Por isso, não tem outro jeito…

Você vai precisar optar por um dos serviços de hospedagem existentes e por um dos construtores de páginas.

Entre as hospedagens mais famosas estão Digital Ocean, Hostgator, GoDaddy e o King Host e pros construtores de página dá pra escolher entre o Wix e o WordPress, por exemplo.

Passo 3: Pensar em um bom layout

Já reparou como a gente sempre acaba direcionando a nossa atenção pra imagens, locais e ferramentas que possuem uma aparência organizada e agradável?

Você que já passou pelo processo de montar o seu escritório físico sabe como é, não é verdade?!

Pois então… A mesma coisa acontece com os sites.

Assim, se você quer que seus potenciais clientes não tirem os olhos do seu, pense muito bem em qual layout utilizar.

Das cores que vai usar até a fonte dos textos, tudo tem que ser super caprichado: evite as animações, prefira cores mais sóbrias e opte por fontes que facilitem a leitura.

Dica pró - Proposta de Valor pra prender o cliente

Faça uma pesquisa entre os principais concorrentes da sua região ou mesmo de outros estados.

Reserve um bom espaço pra deixar o site com a “cara do seu escritório”.

Mas lembre também que as pessoas já têm uma expectativa de como vai ser um site de escritório de advocacia.

Quando você entra numa padaria, você espera que ela tenha ao menos o pão, não é?

Então fique à vontade pra pensar como vai ser o seu site, mas não esqueça do seu objetivo principal como um escritório de advocacia.

Passo 4: Definir quais páginas o site deve conter e os conteúdos que vai abordar

Se você não tem ideia de como montar o seu site, ou se já tem um, mas quer dar aquele UP no formato dele, a gente recomenda que use algumas páginas essenciais como:

  • Homepage

Geralmente essa é a primeira página que o seu cliente vai ver.

Pense nela como a fachada do seu escritório.

É ela que contém todas as informações sobre seus serviços de forma didática e visualmente atraente.

Lembre de deixar claro nessa página como é feito o agendamento, qual é o seu horário de atendimento e quais as principais áreas de atuação do escritório.

Ah, e sobre esse último ponto, não dê muitos detalhes na homepage. Ao invés disso, indique pro usuário a página específica do seu site sobre suas áreas de atuação. A gente vai falar mais dela daqui a pouquinho.

  • Sobre

Aqui você precisa mostrar como funciona a estrutura do seu escritório.

Dá pra contar história dele, por exemplo, e aqueles itens que a gente está careca de ouvir como “missão, visão e valores”.

Dica pra quem gosta de pensar fora da caixinha: faça diferente…

Quando for contar a história, conte de uma maneira que emocione e com uma linguagem que aproxime o seu público.

Sem perder a formalidade, busque um diálogo direto: esqueça palavras rebuscadas e evite o juridiquês excessivo.

  • Quem Somos

Nessa página você se apresenta e também sua equipe.

Exponha as credenciais de vocês: apresente currículos e experiências de uma maneira bem simples e harmoniosa.

Ah, e mantenha esses campos sempre atualizados. Se alguém da sua equipe terminou alguma formação, por exemplo, é legal acrescentar essa informação.

  • Áreas de atuação

Já percebeu que quanto mais escolhas a gente tem, mais difícil fica tomar uma decisão?

Então… Por causa disso, quando o site é muito generalista (opção da maioria dos escritórios de advocacia que estão entrando no mercado), o usuário se sente um pouco perdido.

Afinal, esse usuário quer ter certeza de que o advogado pode resolver o problema dele e não todos os problemas do mundo.

Assim, separar uma página pra apresentar suas áreas de atuação é fundamental!

Isso inclusive ajuda você a criar autoridade digital.

  • Blog

O blog é a cereja do bolo: o local em que você vai divulgar artigos, vídeos e informações relevantes ao seu público.

Dê bastante atenção pra essa página!

Afinal, ela é um lugarzinho que, se bem desenvolvido, pode ajudar seu site a viralizar, e assim, atrair clientes em potencial pro seu escritório.

Tudo que for publicado no blog deve responder às dúvidas do seu público alvo!

E como você vai saber quais são as dúvidas dos clientes?

É isso que a gente vai te mostrar logo logo, quando você for descobrir como preparar o famoso “marketing de conteúdo”.

Mas segura a ansiedade aí e confere comigo mais uma página que não pode faltar no seu site.

  • Contato

Esse é o espaço em que vão ficar todos os meios pra que os potenciais clientes te encontrem.

Deixe seu telefone, seu email, o plug-in do WhatsApp do site do seu escritório e o endereço físico de seu escritório, se tiver.

E claro: coloque os links pra suas mídias sociais.

Aproveite também pra deixar um formulário em que os usuários possam deixar seus emails.

Assim, a lista de contatos pra quem você vai poder direcionar as divulgações de seus conteúdos e serviços começa a tomar forma.

Mas atenção! Não se esqueça de seguir a regulamentação trazida pela LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados).

Passo 5: Garantir uma boa experiência pro usuário

Falando em LGPD, quando seu site estiver no ar, é super importante que ele ofereça uma boa experiência pros usuários.

Mas o que isso quer dizer?

Quando você entra em um site, espera que ele seja rápido, fácil de navegar e tenha informações completas, não é mesmo?!

A experiência do usuário é isso: fazer com que todos que entram no seu site se sintam satisfeitos e encontrem o que estão procurando.

Pra isso, além de oferecer um conteúdo fora de série, você pode aplicar algumas técnicas de Search Engine Optimization, ou o famoso SEO.

O SEO é um conjunto de técnicas que ajuda o Google a reconhecer a autoridade do seu site e priorizar ele na página de pesquisas.

Infelizmente, essa etapa é meio chatinha. Por isso, uma boa opção é contratar um profissional de TI pra te ajudar com o passo a passo a seguir:

  • Deixar seu site rápido.
  • Fazer um sitemap. Ou seja, um mapa do site com todas as páginas que facilita a leitura dos robôs do Google.
  • Evitar erros de acesso. Sabe quando você procura uma página e cai no famoso erro 404 dizendo que a página não existe? Então, isso não é nada legal pro usuário.
  • Garantir que todas as páginas do seu site sejam seguras. Pra isso, é importante que o endereço do seu site comece em “HTTPS” e não “HTTP”.
  • Conferir se as imagens estão no tamanho correto, com o nome mais adequado possível e com uma legenda chamada “pra cego ver” que explica pro Google o que está aparecendo na imagem.
  • Garantir que todas as páginas do site tenham apenas um H1 (o título principal).
  • Colocar links nos seus conteúdos pra outros conteúdos do seu site. Já aconteceu de você entrar em um site e ele foi te levando pra outras páginas super legais e de repente ficou ali algumas horas e nem percebeu? É bem essa a ideia.

Ficou com a pulga atrás da orelha com esse tal de SEO, né?

Já já a gente vai falar um pouquinho mais sobre a técnica, principalmente em relação à aplicação dela nos seus conteúdos.

Mas não vamos passar o carro na frente dos bois!

Antes disso, vem com a gente descobrir por que produzir conteúdos de primeira pode te levar às alturas do mundo digital.

Como montar um site de Advocacia

Marketing de conteúdo para advogados: o que pode segundo a OAB

Sabia que o código de ética da OAB não permite ao advogado mercantilizar seus serviços?

Ou seja, você não pode fazer promoção de dois processos pelo preço de um ou sortear consultas no Instagram.

Mas você pode, e deve, produzir conteúdos orientativos, informativos e consultivos, que ajudem os usuários da internet a entenderem a legislação brasileira e, com isso, buscarem seus direitos na justiça.

É aí que entra o marketing de conteúdo: pilar principal de uma boa estratégia de marketing digital pra advogados.

O marketing de conteúdo envolve o uso de blogs, podcasts, vídeos e newsletters pra promover empresas, produtos ou serviços.

Ah, e ele está bastante associado ao inbound marketing, que tem como premissa básica atrair clientes.

No caso dos advs, ambos passam pelo conteúdo jurídico.

Pra gente, esse conteúdo é uma forma de você mostrar todo o seu conhecimento e dividir tudo que sabe com a sociedade.

Além disso, tem uma coisa que sabemos por experiência e que é importante você lembrar sempre:

A partir do momento que o usuário pesquisa sobre questões jurídicas e encontra um conteúdo com respostas pro seu problema, ele é atraído pelo que a gente chama de “economia da gratidão”.

Ou seja, aquele conteúdo garante que, mesmo que o usuário até possa resolver o problema sozinho, ele vai consultar o advogado que produziu o material porque entende que o serviço prestado tem valor e vai o ajudar a resolver as coisas mais rapidamente.

E agora você deve estar se perguntando…

Mas como fazer com que as pessoas encontrem os meus conteúdos?

A-haaaa! É aí que entra a metodologia do funil de vendas com foco no topo do Google que a 3MIND desenvolveu.

O funil de vendas possui diversas etapas, e pra que os conteúdos do seu site sejam encontrados, eles precisam ser compatíveis às necessidades de usuários que estão nas diferentes etapas.

Achou confuso?

Pode se tranquilizar! No próximo tópico você vai ver que é molezinha!

Vem comigo!

Funil de vendas para atrair clientes online

Não sabe o que é o funil de vendas?

Relaxa que a gente explica:

O funil de vendas é um modelo estratégico, adotado por profissionais de marketing, pra estruturar a jornada de compra do cliente.

Essa jornada de compra representa o “caminho” que um comprador percorre até adquirir um produto ou serviço de um vendedor.

Por isso, ela é um elemento fundamental na relação entre consumidor/usuário e produtos/serviços.

E como existem várias etapas na jornada da compra, ou seja, a partir do momento em que uma pessoa descobre a existência de um produto ou serviço e o adquire, também o funil de vendas passa por inúmeras fases. São elas:

  • Topo do Funil:

    Nessa etapa, o usuário faz o primeiro contato com o produto/serviço, e acaba descobrindo um problema.

    Então, passa a refletir sobre como resolvê-lo.

  • Meio do Funil:

    Aqui, o usuário já demonstrou interesse pelo produto ou pelo serviço que determinada empresa oferece por acreditar que eles são capazes de resolver o problema que identificou lá atrás.

    Assim, ele está prontinho pra ser abordado pelo pessoal que faz as vendas.

  • Fundo do Funil:

    Nessa parte, os vendedores precisam partir pro ataque e criar o melhor relacionamento possível com o usuário.

    Isso pode garantir que ele adquira o produto ou serviço em questão.

Funil de vendas para Advogados

Pra ficar mais fácil de você entender, a gente trouxe um exemplo que aconteceu comigo uns meses atrás. Dá uma olhada:

Topo do Funil ou Descoberta: Navegando na internet, descubro que o climatizador é mais eficaz pro calor do que um ventilador. Olho pro meu ventiladorzinho velho e tenho a certeza de que ele precisa ser substituído pelo climatizador, ou não vou sobreviver ao verão que está vindo. hehe

Meio do Funil ou Reconhecimento: Busco no Google “climatizador” e acesso diversos sites pra pesquisar preços, funcionalidades, entre outros.

Fundo do Funil ou Decisão: Por fim, um dos climatizadores me chama bastante atenção porque parece o mais adequado pra resolver meu problema com o calor. Assim, inicio o meu processo de compra.

Com esse exemplo ficou bem mais tranquilo né?

Mas chega de enrolação: bora falar do funil de vendas pro seu caso, o funil do advogados.

Pois então, na metodologia de marketing jurídico desenvolvida pela 3MIND, a gente vê o funil de vendas do advogado da seguinte forma:

1. Topo do funil - Ensinar o cliente que ele ou ela tem um problema

Na primeira etapa do funil de marketing da advocacia estão os usuários que procuram por respostas às suas dúvidas jurídicas no Google, ou em outros buscadores da internet.

Assim, o ideal é fazer com que as pesquisas desses usuários possam ir ao encontro dos serviços oferecidos pelo seu escritório.

A dica então pra captar esses clientes é desenvolver conteúdos que respondam às suas perguntas.

Uma boa é responder essas perguntas através de vídeos e posts mais curtos e em grande quantidade, com teor educativo como guias, ou que incluam dicas, listas e tutoriais.

É importante também otimizar esses conteúdos, pra que eles apareçam nas primeiras páginas do Google (o famoso “ranqueamento”).

E pra fazer tudo isso, é necessário descobrir quais perguntas estão sendo feitas nos buscadores. O que é bem tranquilo, quer ver só?

Por exemplo, se você procura por “demissão por justa causa”, o próprio buscador te ajuda com perguntas frequentes ou expressões de buscas relacionadas a este tema.

Veja 3 maneiras em que isso acontece:

  1. Na aba de pesquisa, ao escrever “demissão por justa causa” já aparecem diversos temas relacionados.

    Como fazer marketing de conteúdo na Advocacia

  2. Na primeira página do Google, logo depois da posição 0, aparece um quadro de perguntas frequentes de usuários sobre o tema proposto.

    Como começar a criar conteúdo jurídico

  3. E ao final da página também aparecem algumas expressões relacionadas ao tema pesquisado. Ah, e caso você use uma ferramenta gratuita chamada Ubersuggest, dá pra ver até o volume de pesquisa de cada uma delas.

    Como criar um blog de Direito

Agora não parece tão complicado começar a despertar o interesse de clientes em potencial, não é verdade?

Com essa pesquisa simples você já vai ter noção dos temas que pode escolher pra começar a abordar no seu blog.

Assim, vai conseguir mostrar pros visitantes que você entende do assunto e que pode ajudar a resolver os problemas deles.

Mas calma lá que a gente só começou a falar do funil de advogados. Bora pra próxima etapa!

2. Meio do funil - Mostrar que existem soluções para o problema

Nessa etapa estão aqueles usuários que clicam no link de conteúdo e entram no site do escritório porque acreditam que lá vão encontrar respostas pros seus problemas e necessidades.

Por isso, aqui vale investir em podcasts, infográficos e posts maiores e mais densos, que sejam capazes de preencher todas as lacunas sobre o tema na cabeça do leitor.

Mas detalhe: todo esse material precisa ser de fácil entendimento. Nada de linguagem difícil com citações gigantescas da Legislação ou da Jurisprudência, hein!

Se você consegue entregar um conteúdo informativo, consultivo e sem juridiquês, que faz os usuários dessa etapa do funil entenderem seus direitos, BINGO…

Eles podem ir pra última etapa: o fundo do funil.

3. Fundo do funil - Ofertar a solução para o problema

Se os usuários estão no fundo do funil, é porque foi só sucesso nas etapas anteriores.

É que aqui eles já entenderam o conteúdo, confiaram em você e apertaram o plug-in do WhatsApp do site do seu escritório (um botão que você adiciona ao site pra direcionar o usuário direto pro Whats em que ele poderá ser atendido).

Aí pronto: foi dado o play no relacionamento.

É nesse momento em que acaba o marketing digital e começa o atendimento, então arregace as mangas e vai fundo pra mostrar as vantagens do seu serviço!

(Dica: dá pra mostrar casos de sucesso que já passaram pelo seu escritório).

Atendimento na Advocacia

Mas e aí, foi tranquilo essa parte do funil? Se quiser se aprofundar no tema, pode se inscrever no curso gratuito no site da 3MIND.

Técnicas pra impulsionar seu conteúdo jurídico: atraindo as pessoas certas

Agora você deve estar com a cabeça cheia de dúvidas:

Como eu vou saber adaptar conteúdos pros usuários em todas as etapas do funil?

Como garantir que meu conteúdo é informativo, orientativo e consultivo?

Como fazer meu conteúdo ranquear no Google e, assim, levar o usuário pro site do meu escritório?

Se liga nas ferramentas abaixo e comece agora a sua jornada ao topo do Google my friend!

1. Entenda as dores e alegrias dos seus clientes (Job to be Done)

O Job To Be Done é uma técnica de marketing digital focada nas razões, principalmente emocionais, que levam uma pessoa a tomar uma decisão.

No seu caso, a decisão seria agendar um atendimento ou enviar documentos pra análise prévia.

Por isso, essa técnica é fundamental em uma estratégia pra atrair clientes online.

E aí vem aquela pergunta que não quer calar:

Como descobrir essas razões?

Bom, aqui é preciso entender quais são os medos e prazeres dos clientes que você pretende atrair na internet.

Dá pra identificar esses medos e prazeres nas dúvidas que você recebeu de clientes anteriores, por exemplo.

Tente se lembrar de como você deu início àquela causa que rendeu bons lucros pro escritório e como foi sua conversa inicial com o cliente!

Quer ver um exemplo?

O Pedro é advogado e começou a pensar nos atendimentos que fez nos últimos 2 anos pra tentar entender como atrair novos clientes.

Com isso, ele percebeu que, na maioria dos casos:

  • O medo era: ter o benefício do INSS negado.
  • O prazer era: conseguir a revisão da aposentadoria pra aumentar o benefício.

Assim, o Pedro passou a produzir textos pro blog dele que explicavam a necessidade de ter um bom advogado pra defender os clientes quando o INSS se mostrasse resistente.

Quando você que advoga descobre os medos e prazeres de um potencial cliente, como o Pedro fez, consegue identificar também o que vai levar essa pessoa a iniciar uma ação.

Aí pronto: produz o conteúdo adequado pra instigar esse usuário a demandar o seu serviço, de fato.

Agora vem com a gente pra próxima técnica.

2. Encontre e utilize uma Palavra-chave nos seus conteúdos

Ao preparar o seu conteúdo, você deve selecionar uma palavra-chave relacionada ao assunto que vai tratar.

Pra ficar mais claro, imagine esse exemplo:

O Luis é Advogado Trabalhista e vai criar um texto sobre os direitos básicos que devem ser reconhecidos em uma rescisão trabalhista.

Nesse caso, “rescisão trabalhista” é a palavra-chave do post do Luis e o título pode ser algo como: “Os direitos na Rescisão Trabalhista”.

Perceba que a escolha da palavra-chave é fundamental pra garantir que o seu conteúdo tenha um bom ranqueamento no Google.

Afinal, ela é uma das maneiras que faz o Google entender do que trata o seu post e, assim, permitir que ele apareça nas páginas de pesquisa.

Pra definir ela, você precisa ter bem claro informações sobre:

E muita atenção aqui…

Pra que a palavra-chave te traga bons resultados, de fato, ela deve aparecer de forma estratégica no seu post. A palavra precisa estar presente:

  • No título do texto
  • No primeiro parágrafo
  • Em algum dos intertítulos do conteúdo

Além disso, ela deve ser usada em outros textos do seu site ou de sites parceiros como hiperlink para o conteúdo.

Tudo certo com essa técnica?! Então bora conhecer as outras.

3. Descubra quem são os destaques na área (Skyscraper)

Depois que você entendeu o que leva um potencial cliente a iniciar uma ação pra fechar negócio, ou seja, descobriu quais suas dores e alegrias, chegou a hora de analisar a sua concorrência.

Aí é que entra a técnica chamada “Skyscraper”.

Essa técnica se resume a analisar quem está no topo do Google fazendo um trabalho bem feito e então, fazer melhor!

Por exemplo: a Ana é advogada Previdenciária e definiu a palavra-chave da sua publicação como “Revisão da Vida Toda para Funcionários Públicos”.

Com isso, ela precisa pesquisar essa palavra no Google e analisar todos os conteúdos ranqueados na primeira página.

Pra fazer essa análise, você precisa descobrir:

  • O que eles usam como título principal (H1)?
  • Quais são os intertítulos usados pra construção do texto?
  • Quantas palavras existem nos textos ranqueados na primeira página?
  • Eles usam imagens ou infográficos pra ilustrar o texto?

Depois disso, é colocar a mão na massa:

Dê tudo de si pra desenvolver um conteúdo superior aos concorrentes.

Ah, e anota aí essa dica de ouro: nesse processo todo, busque sempre promover uma boa experiência ao usuário.

Analise, por exemplo, se a visualização do conteúdo está bem adaptada pra smartphones.

Isso é o que faz a diferença frente ao Google.

Certinho? Próxima técnica então!

4. Crie conteúdos combinados (Pilar Page)

O Pilar Page é uma técnica de organização e otimização de conteúdo pro site do seu escritório.

Essa técnica passa, primeiro, por utilizar um conteúdo mãe, ou seja, um conteúdo super completo, focado na palavra-chave que você mais deseja.

Depois, você precisa preparar alguns conteúdos mais curtinhos sobre temas relacionados pra fortalecer o conteúdo principal.

Aí, nesses materiais menores, é só colocar a palavra-chave do conteúdo mãe com links direcionando pro post maior.

Por exemplo, lembra da Ana, que mencionei lá em cima?

Imagine que ela deseja aparecer na primeira página do Google toda vez que alguém procurar pela palavra-chave “Revisão da Vida Toda para Funcionários Públicos”.

Pra isso, o foco do conteúdo mãe deve ser justamente esse tipo de revisão.

Mas, pra deixar o post dela ainda mais forte aos olhos do robô de leitura do Google, vai ser preciso produzir conteúdos satélites que apontam (por meio de links) pro conteúdo maior.

Por exemplo: vamos supor que você vai produzir um conteúdo mãe sobre “Demissão por justa causa”.

Assim pode desenvolver conteúdos satélites sobre: Verbas Rescisórias, Danos Morais Trabalhistas, Tipos de Demissão após a Reforma Trabalhista, entre outros.

Em todos esses conteúdos, lembre de usar a palavra-chave “demissão por justa causa” como hiperlink pro conteúdo mãe.

Com isso, o Google vai entender que esse conteúdo é muito completo e oferece uma boa experiência de leitura pro usuário.

Mas calma aí que as técnicas ainda não acabaram. Vamos pra mais uma!

5. Use técnicas de Search Engine Optimization (SEO)

Já tinha ouvido falar dessa sigla antes do post?

Se a resposta é não, chegou a hora de saber mais sobre ela.

Como a gente mencionou lá em cima, o SEO é um conjunto de técnicas que facilita a leitura do robô no Google.

A aplicação dele melhora o ranqueamento dos links de um site.

Assim, esse conjunto de técnicas é fundamental pra um advogado que pretende aparecer na primeira página do buscador.

Em uma estratégia de SEO para advogados a gente separou algumas dicas básicas pra construir um conteúdo otimizado.

Aqui te mostro os truques que são o pulo do gato a estratégia de SEO do seu conteúdo. Olha só:

  • Não repita demais a palavra-chave, use palavras parecidas do mesmo campo semântico e mostre pro Google que o seu conteúdo é relevante.
  • Ofereça a melhor experiência possível ao usuário através da definição de uma ordem para o texto. Ah, e caso ele seja muito longo, coloque um sumário pra facilitar a busca pelos intertítulos.
  • Coloque links que direcionem o usuário pra outros conteúdos do seu site.
  • Busque parceiros que tenham interesse no seu conteúdo e solicite links (a famosa estratégia de Link Building):
  • Sempre nomeie as imagens com a palavra-chave do conteúdo.

Anotou todos os truques? Aproveita então pra anotar as dicas de ouro que estão na próxima técnica que você vai conhecer.

6. Direcione usuários pro seu site através das Redes Sociais

Aposto que você usa pelo menos uma rede social no seu dia a dia.

Então, esse tema parece bem simples, certo?

Bom, simples é… Mas pra atrair clientes pro seu escritório através das redes, você precisa usar elas de uma maneira bem estratégica!

Na metodologia desenvolvida pela 3MIND, o objetivo das redes sociais pra advogados não é atair likes, e sim gerar negócios.

Por isso, a gente usa as redes sociais como canais de promoção do conteúdo publicado no site do escritório de advocacia, assim como mencionamos lá em cima, ao falar de inbound marketing.

E agora eu te conto como a gente faz isso, olha só:

Pra cada conteúdo publicado no blog do escritório, desenvolvemos quatro chamadas nas redes sociais que terminam com o link do conteúdo completo.

Nessas chamadas, além de colocar uma prévia do conteúdo, a gente avisa que o usuário pode tirar suas dúvidas lá no post do blog.

Por exemplo:

Saiu do forno um conteúdo completo sobre Revisão da Vida Toda para Funcionários Públicos.

Depois disso, a gente desenvolve quatro posts mais curtinhos pras redes sociais com assuntos mencionados no conteúdo mãe. Algo como:

  • Como é feito o cálculo da aposentadoria do Funcionário Público?
  • Quais são os documentos necessários pra pedir a revisão da Vida Toda?
  • O que é a Revisão da Vida Toda e quem tem direito?
  • Existe um prazo pra requerer a revisão da vida toda?

Todos esses posts serão usados como ferramentas de tração pra gerar tráfego qualificado pro site do escritório.

Tráfego Qualificado? O que é isso?

São usuários que querem saber sobre esse assunto e possíveis clientes, já que eles já têm interesse no serviço prestado pelo escritório.

Aqui entra uma das grandes premissas da 3MIND: “é muito mais fácil vender pra quem quer comprar”.

Ou seja, é mais fácil vender um serviço de advocacia pra uma pessoa que já está procurando sobre Revisão da Vida Toda, do que pra alguém que sequer se aposentou. Concorda?

E se você quer saber um pouquinho mais sobre como usar as redes pra divulgar o seu escritório, é só fazer o curso gratuito de Social Media da 3MIND.

Conclusão

Muitos advogados perdem grandes negócios por não explorarem o mundo virtual direito.

Mas com esse post na manga, você já não vai cair nesses erros bobos.

Pelo contrário… Agora você vai sair na frente de muita gente que parou no tempo e deu as costas pro universo online.

Talvez com um escritório pequeno e usando as dicas desse post, você tenha muito mais presença (e clientes) que um baita escritório com sede luxuosa que não está esperto nessas dicas.

Afinal, aqui você descobriu:

  • Como construir um bom site que atrai clientes de verdade e não é um mero cartão de visitas.
  • Como desenvolver conteúdos pros usuários de cada etapa do seu funil de vendas online e reter todos esses clientes.
  • Quais as melhores técnicas pra bombar seus conteúdos nas pesquisas do google e garantir que cada vez mais pessoas cheguem até você.
  • Como evitar os principais erros de quem está iniciando no marketing jurídico e ainda estar de acordo com o código de Ética da OAB.
  • E muito mais…

Com todas essas dicas, fica fácil começar uma estratégia de marketing jurídico pro seu escritório, não é mesmo?!

A 3MIND tem aplicado várias dessas técnicas em centenas de escritórios de todo o Brasil e os resultados são impressionantes.

São escritórios que captam clientes online todos os dias e faturam mais que muitos outros tradicionais por aí.

E se você ainda ficou com alguma dúvida sobre o assunto, deixe seu comentário aqui embaixo que será um prazer te ajudar.

Ah e uma dica final: você também pode se inscrever gratuitamente no Curso Marketing Jurídico Essencials da 3MIND que ajuda advogados a se aprofundarem nesse oceano de possibilidades que é o marketing jurídico!

Artigos relacionados

Deixe um comentário aqui embaixo, vou adorar saber o que você achou!