Previdenciário

Como começar a advogar no Direito Previdenciário de forma simples

Baixe o bônus do CJ

E algumas petições de presente

30 Petições Previdenciárias usadas em casos reais que deram certo

Pensa em iniciar no direito previdenciário, mas não sabe como ou nem por onde começar?

Sei como é… Muitos advogados até desistem da área antes mesmo de dar o primeiro passo.

Afinal, são tantos benefícios, leis e alterações que pode parecer um bicho de sete cabeças.

Bom, mas a verdade é outra e vou provar isso nesse post!

É que aqui coloquei um passo a passo de como iniciar nessa área, e o melhor, na frente de muitos outros advogados.

Dá só uma olhada em quanta coisa incrível você vai descobrir até o final:

  • Uma visão geral de como está o mercado no Direito Previdenciária
  • Porque essa área dá dinheiro
  • Quais são as possibilidades de atuação na área
  • Quem pode ser o seu cliente
  • Os principais erros ao começar
  • Como são os cálculos previdenciários
  • E mais: segredos sobre como começar no Previdenciário.

Com tudo isso em mãos, tenho certeza que no fim da leitura, seus olhos vão brilhar e você vai correr pra pegar muitos casos previdenciários.

Então, vem comigo, pois este post é o melhor atalho pra você começar na área previdenciária.

Inclusive, recomendo que você salve o link pra acessar sempre que precisar.

Visão geral do direito previdenciário

O direito previdenciário é uma área que está cada dia mais em expansão!

E isso não é à toa…Afinal, o trabalhador brasileiro hoje está muito mais preocupado com sua aposentadoria do que alguns anos atrás.

Com tanta informação na internet e nas redes sociais, as pessoas estão mais atentas às possíveis revisões de benefícios e buscando entender seus direitos.

Pra deixar isso mais claro, pare um minutinho e pense em quantas pessoas já te questionaram sobre a área ou mencionaram alguma notícia que viram por aí…

Foram muitas, não é mesmo?!

Pois é… É provável que seu vizinho, seu amigo, ou algum parente, já ouviu que precisava procurar um advogado previdenciário pra “cuidar” da aposentadoria dele.

Pode até ser que ele tenha procurado pelo seu escritório, mas por não estar com os olhos abertos pra área, você tenha perdido esse cliente.

Então tire a venda dos olhos e pode confiar porque o Previdenciário realmente é um mercado aquecido.

Mas aí você deve estar pensando: com tantos advogados no Brasil, será que vale a pena mesmo investir nessa área?

Pois é, eu sei que o número de advogados no país é enorme.

Mas cá entre nós, quantos advogados especialistas em direito previdenciário você conhece?

E, me arrisco a ir mais longe: me diz quantos advogados você conhece que::

  • têm conhecimento em todos os tipos de benefícios previdenciários
  • têm expertise em cálculos previdenciários
  • fazem excelentes análises de Processos Administrativos antes de ingressar com uma ação
  • sabem de verdade fazer um planejamento previdenciário vantajoso para o cliente

E aí, quantos? Aposto que uma quantidade beeeem pequena.

No meu caso, por exemplo, eu comecei no previdenciário ainda na faculdade e, antes mesmo de advogar, já trabalhava em escritórios especializados nessa área.

Dito isso, se eu precisasse recomendar um advogado previdenciarista para alguém, teria em mente só os colegas que já trabalhei.

Esse também é o seu caso?

Se sim, concorda que a quantidade de advogados que atuam na área e, em especial, atuam com excelência, é muito pequena?

Pois é.. A verdade é que o número de advogados especialistas em previdenciário ainda está muito longe de ser assustador.

E um dos motivos é o que comentei antes: muitos desistem antes mesmo de iniciar na área.

Mas tenho certeza que, depois das vantagens que vou te contar aqui, você não vai querer fazer parte desse clube. Vem ver!

Direito previdenciário dá dinheiro?

Um dos motivos que fazem os advogados escolherem a área de atuação é a velha pergunta: será que dá dinheiro?

Se a resposta for sim, a gente já tem meio caminho andado.

Afinal, a valorização do nosso trabalho é um excelente motivo pra gente se dedicar a uma área específica dentro de todas as possibilidades da Advocacia.

É por isso que, pra responder se o Previdenciário dá dinheiro já adianto que essa área é um universo a ser explorado!

E isso ficou ainda mais real depois da Reforma da Previdência, já que as dúvidas dos segurados cresceram muito mais.

É por esse motivo que, ao ter medo de entrar no Previdenciário, você pode estar abrindo mão uma grande oportunidade.

Em outras palavras, pode estar deixando muito dinheiro na mesa (dinheiro que poderia estar na sua conta bancária).

É como diz aquele ditado: quem chega antes, bebe água limpa.

Então vai por mim: hoje mais que nunca, o previdenciário apresenta várias possibilidades para você fazer muito dinheiro.

E ouso dizer que não é preciso nem ingressar com a ação pra isso.

Um exemplo é o Planejamento Previdenciário.

Pensa comigo… O quanto vale para seu cliente ter toda a vida previdenciária planejada?

O quanto vale pra ele a tranquilidade de saber como, quando e com quanto irá se aposentar?

A segurança do cliente de pensar que não vai passar nenhum sufoco e nem ter uma surpresa desagradável na hora de aposentar é impagável!

Mas calma lá… O seu trabalho como advogado em um planejamento previdenciário é pago, e pode ser muito bem pago.

Eu conheço advogados que cobram, em média, de mil a dois mil reais para fazer um planejamento previdenciário.

E isso é incrível já que, você pode fazer quantos planejamentos de forma fácil e rápida com a ajuda do CJ.?

Pois é, se ainda não usa o programa, depois dessa leitura, corre pra fazer a sua assinatura com 15 dias de garantia e começar a recolher muito dinheiro com previdenciário.

E detalhe: eu só falei do planejamento.

Fora isso, é possível cobrar para:

  • fazer análises de casos
  • analisar processos administrativos em que o segurado pediu o benefício sozinho e não deu certo
  • fazer cálculos de aposentadorias
  • e muitas outras opções.

Ah, e só pra te deixar sorrindo de orelha a orelha, sabe quantos benefícios previdenciários existem hoje?

Bom, são 8. Isso mesmo, O-I-T-O tipos de benefícios previdenciários.

Só aqui, já dá pra imaginar a quantidade de processos contra o INSS que você pode ingressar, não é mesmo?!

E por falar em ações previdenciárias, além da concessão de todos os benefícios previdenciários, que não são poucos, existem muitas revisões de direito já pacificadas na área, como revisões mais antigas:

  • revisão do buraco negro
  • revisão do buraco verde
  • revisão da ORTN
  • revisão de IRSM
  • revisão do teto.

Ah, só pra te lembrar: todas elas você pode fazer no CJ com tranquilidade e rapidez.

Certo, mas aí você pode estar pensando

Mas Carla, vou ter que saber todos esses benefícios e todas essas revisões pra ganhar bastante dinheiro com direito previdenciário?

Já te adianto que não.

E pra ficar fácil visualizar isso, bora conhecer um conceito bem importante para quem tá iniciando na área não perder tempo, já que tempo é dinheiro.

Princípio de Pareto e como ele vai te ajudar a lucrar mais no Previdenciário

Em primeiro lugar, você já ouviu falar na regra 80/20?

Se sim, ótimo. Se não, sem problemas, vou te explicar rapidinho.

A regra 80/20 vem do conceito do Princípio de Pareto.

De forma direta, esse conceito explica que, cerca de 20% do esforço que você dedica ao trabalho é responsável por 80% do seu desempenho.

Isso quer dizer que só 20% do serviço que você presta, retorna em 80% do faturamento do seu escritório.

Certo Carla, mas como vou aplicar isso no meu escritório pra ganhar mais dinheiro?

Simples! Você vai fazer mais atividades que dão resultados maiores, com menos esforço possível. Incrível, eu sei.

Na prática, como isso funciona?

Bom, vamos lá. Dentre todas as possibilidades que podem ser exploradas no previdenciário, escolha uma ou duas.

Se aprofunde nesses tópicos o máximo que você puder.

Pra facilitar, imagine que você quer atuar em direito previdenciário com foco em planejamentos previdenciários e aposentadorias para profissionais da saúde.

Então pense em um médico. A gente sabe que um médico no Brasil é uma profissão bastante reconhecida financeiramente.

Médicos, na grande maioria, são autônomos, contribuintes individuais e têm grande circulação de receita.

Só com essas informações, a gente já sabe que:

  • um médico pode pagar um valor alto para o planejamento previdenciário
  • é comum que o médico tenha mais de uma aposentadoria (já que, muitas vezes, contribui para o RGPS e RPPS)
  • depois de trabalhar a vida toda, ele vai querer ter a aposentadoria mais vantajosa possível.

Veja que, com isso, ao fazer o planejamento previdenciário do médico, as chances de você também entrar com a aposentadoria dele no futuro são gigantes.

Resultado: aqui você já tem 2 contratos com apenas um cliente.

Um único cliente que te traz duas formas de receita.

Agora pense também que médicos conhecem médicos.

Assim, se você focar nesse médico, é possível que ele te indique para outros médicos e esse fluxo siga sem fim.

Percebeu como ficou muito mais fácil de ganhar mais dinheiro?

Pois é, nem sempre quem trabalha mais horas é quem fatura mais, mas sim quem trabalha com estratégia.

É por isso que, ao aplicar o princípio de Pareto, seu escritório ficará mais lucrativo.

Agora que você já tem uma ideia de como fazer para ser um dos 20% advogados que vai lucrar 80%, vem ver o que você NÃO deve fazer.

Os principais erros ao iniciar no direito previdenciário hoje

Para que você comece com o pé direito na área previdenciária, é preciso evitar alguns erros que prejudicam o desenvolvimento do advogado e o seu dia a dia de trabalho.

Por exemplo, ao iniciar na área, é normal a falta de experiência, mas a falta de conhecimento, é algo que você pode resolver com muito estudo.

Uma maneira simples de fazer isso é acompanhar blogs jurídicos, o CJ inclusive tem um blog excelente com dicas e truques para os advogados faturarem mais. .

Além disso, existem outros erros muito básicos que como não dominar a língua portuguesa.

Afinal, é algo que pode diminuir a qualidade das suas petições, e, com isso, toda a ação judicial.

Outro erro comum é não saber utilizar de um bom marketing jurídico no mundo digital ou ignorar essa ferramenta.

Mas existem muitos outros 3 erros fatais e é sobre eles que a gente vai conversar agora pra que você futuro advogado previdenciarista saber evitar.

Bom, vamos lá!

Erro 1. Não usar um bom software de cálculos

Não adianta só entender a matéria de direito e processual do direito previdenciário…

Você também precisa saber dominar os cálculos previdenciários porque são eles que vão te diferenciar de outros previdenciaristas.

Eu sei que muitos advogados tendem a correr dessa parte. Só de pensar em cálculos, a maioria já quer desistir.

E eu entendo. Antes, fazer cálculos previdenciários consumia horas do meu dia…

Era preciso inserir período por período e salários por salários. E, pior, qualquer mínima desatenção, já teria um cálculo errado.

Sem contar que não dá pra confiar que uma fórmula por trás de uma tabela vai trazer um resultado preciso.

Afinal, existem inúmeros benefícios de aposentadoria com várias regras diferentes.

E olha, que eu nem mencionei o cálculo de liquidação previdenciária, que, caso tenha erros, seu cliente perde dinheiro e você também.

Mas pode dar aquele suspiro de alívio que agora tem solução!

Isso mesmo! Você que está iniciando hoje, não precisa sofrer com os cálculos e nem ficar horas, ou até dias para fazer um cálculo de concessão ou revisão de benefício.

Usar um software que é programado dentro de todas as regras do direito previdenciário, como o CJ, além de poupar seu tempo, vai te deixar confiante com os resultados.

No CJ, você consegue fazer um cálculo de concessão em questão de uma média de 5 minutos.

Sim, foi o que leu mesmo. É só preencher alguns dados, importar o CNIS do cliente, e, pronto: você tem todas as regras de benefícios prra analisar, já indicando o que ele pode terdireito ou não.

Posso resumir em 3 palavras: prático, simples e rápido.

Então, pra que você não comece perdendo tempo e fazendo cálculos que podem estar cheios de errinhos, recomendo que, desde agora, use uma plataforma de cálculos, como o CJ.

Erro 2. Gastar tempo com coisas que não dão resultado

Tempo é algo que não volta mais, concorda?

Pois então.. E, muitas vezes, na correria do dia a dia, os advogados estão sempre correndo contra o tempo.

Mas olha só, muitas pessoas acreditam que estar ocupado o tempo todo é ser produtivo, e não é bem assim.

Se hoje você leva 5h para fazer um cálculo, mas poderia fazer em 10min, qual opção vai escolher?

Bom, eu escolheria fazer o cálculo em 10min e usar as outras 4h para algo útil ou para descansar.

Veja bem, não vale a pena gastar tempo com coisas que não dão o resultado satisfatório ou nenhum resultado.

É por isso que te digo pra ingressar em uma área, não é preciso fazer 2 anos de pós-graduação pra só depois começar a atuar.

Isso não quer dizer que a pós não vai te ajudar, nada disso!

A ideia é que, nesse tempo de pós, você pode ler bons manuais de direito previdenciário e as principais leis e normas internas do INSS, por exemplo.

No próprio CJ, há cursos preparados por especialistas que te entregam dicas práticas pra sair atuando no Previdenciário ou em outras áreas. .

Só pra dar uma palhinha, se você quer aprender a fazer um planejamento, não precisa ficar meses estudando todas as regras…

Quem é assinante do CJ, tem acesso a um curso com todas as informações necessárias pra começar a fazer um primeiro planejamento previdenciário de sucesso.

Ah, e por falar em poupar tempo, vou deixar 2 dicas de ouro sobre gestão do escritório:


Erro 3. Publicar coisas em redes sociais que só outros advogados olham

Usar as redes sociais é uma maneira excelente de atrair clientes.

Mas, muitos advogados que estão iniciando no digital, cometem um errinho fatal: achar que publicar conteúdo educacional sobre as leis e regras pode atrair clientes.

Isso porque, quem procura conteúdo que ensina algo, são outros profissionais da área que estão buscando aprender ou tirar uma dúvida.

Então, ao publicar só conteúdos informativos e explicativos sobre as leis, você só atrai outros advogados ao invés de trazer possíveis clientes.

Não esquece: seus possíveis clientes não estão interessados em aprender sobre a lei e as regras de forma minuciosa.

O que eles querem é que você mostre que pode resolver o problema deles.

Por isso, comece já pensando em produzir conteúdo que resolva a dor do seu cliente, ao invés de educar outros advogados.

Já vou deixar aqui alguns exemplos de chamadas de conteúdos que você pode criar ou se inspirar pra chamar a atenção do seu possível cliente:

“Trabalhei a vida toda na agricultura e nunca contribui, tenho direito a benefício do INSS?”

“Veja se você pode receber 2 pensões”

“Enfermeiros, podem se aposentar antes?”

“Idoso que nunca contribuiu? Fique tranquilo, eu te ajudo a receber um benefício”

“Contribuiu antes de 1994? Você pode ter dinheiro pra receber do INSS”

O importante é sempre focar na dor do seu cliente, e nunca na dor do seu colega advogado.

Assim, faça conteúdos chamativos pros segurados, e, diferente do que diz aquele famoso ditado, não é hora de dar o peixe e nem de ensinar a pescar, apenas lance a isca.

Prontinho! Erros já dominados, agora é hora de descobrir o pulo do gato pra começar no previdenciário, chega mais!

Onde atuar no direito previdenciário

Contencioso ou consultivo? Qual serviço oferecer?

Não fique mais na dúvida…

Siga a leitura e tenha em mãos o que precisa pra decidir onde atuar no Direito Previdenciário.

No consultivo

Não se engane! A advocacia previdenciária oferece um leque de possibilidades para atuar…

Inclusive, na prática, é bem comum ver outros profissionais, além do advogado, atuarem nessa área.

Isso acontece porque, na área administrativa, não é necessário o acompanhamento de um advogado.

Por esse motivo, se você é simpatizante da área previdenciária, mas não é advogado ainda ou não pretende ser, também pode agarrar essa oportunidade.

De qualquer forma, uma possibilidade de ouro pra atuar no Previdenciário é o consultivo.

A área consultiva no direito previdenciário tem crescido muito!

Um exemplo é que tem sido muito comum os segurados começarem a procurar um profissional para fazer um planejamento de aposentadoria o mais cedo possível.

Além disso, as consultas nessa área são facilmente monetizáveis, já que elas, geralmente, exigem uma análise.

Se você for analisar se o cliente tem direito a algum benefício ou se fizer o cálculo de contribuições dele de forma manual, com certeza vai levar algumas horas.

Agora, se você usa um programa de cálculos como o CJ a disposição, na própria consulta já consegue fazer o cálculo rapidinho, analisar cenários, e cobrar por essa consulta e análise.

Com o CJ, você poupa tempo, recebe o dinheiro adiantado e ainda aumenta a chance de fechar com o cliente.

Mas pra atuar na área consultiva, não é preciso se limitar só a segurados e contribuintes de algum regime de previdência, viu?

Na verdade, em qualquer área, há várias possibilidades de atuação dentro do consultivo.

Só pra dar um “spoiler”, além da consultoria, há também a assessoria jurídica, que pode ser um campo sem fim quando a gente em empresas, por exemplo.

Mas não é só no consultivo em que dá pra apostar não, o mar previdenciário também está pra contencioso. Olha só!

No contencioso

A gente sabe que as ações de direito previdenciário passam, em grande parte, pelo Juizado Especial Federal.

Assim, essas ações tendem a correr mais rápido, do que, por exemplo, uma ação cível, en que você fica 4, 5 anos com a ação acontecendo no judiciário.

Então pode comemorar! Afinal, nas ações previdenciárias você trabalha pelo êxito, não vai esperar uma vida para receber seus honorários.

Além disso, há ações de aposentadoria que não exigem nenhum tipo de comprovação de períodos ou especialidades e geralmente tramitam sem audiência, por exemplo.

Outra opção é ajudar os segurados no pedido do benefício diretamente ao INSS.

O pedido administrativo não exige advogado, mas se você tem conhecimento para isso, a oportunidade está na sua frente.

Bom, e agora que você já sabe onde pode atuar no Previdenciário, que tal conhecer quem pode ser o seu cliente?

Tá na mão:

Quais os clientes de quem advoga no Previdenciário?

Você acredita que o direito previdenciário é só focado em segurados do INSS?

Se sim, felizmente, cometeu um engano.

A gama de clientes no direito previdenciário pode ir muito além do segurado do INSS, como vou te mostrar agorinha. Segue comigo!

Pessoas físicas

Claro, os trabalhadores que são obrigados a contribuir para o INSS podem ser seus clientes, com certeza..

Ou seja, você pode atender seus parentes, seu vizinho, seu amigo, e basicamente qualquer pessoa que tenha um vínculo que exija contribuir para o INSS.

Mas não são só eles!

Além do segurado obrigatório, existem ainda os segurados facultativos.

Ou seja, aquelas pessoas que necessariamente não precisam contribuir para a previdência, mas optam em contribuir.

Então perceba que, dentro das pessoas físicas, tem outra classe que você pode atender.

Ah, e claro, ainda tem a classe que não é contribuinte obrigatório, não contribui pra nenhuma previdência e, ainda assim, tem direito a benefícios do INSS sem nenhuma contribuição.

Tô falando aqui sobre os clientes que podem requerer, por exemplo, o benefício de prestação continuada, mais conhecido como LOAS.

Veja, já mostrei pra você 3 classes em que você pode encontrar seus clientes.

E olha que eu só mencionei pessoas físicas…

Pois é, eu sei, caso você esteja pensando em começar atuar nessa área, saiba que a falta de cliente nessa área está longe de acontecer!

Afinal, todo mundo precisa ou vai precisar de um advogado previdenciarista.

Pessoas jurídicas

Mas não para por aí!

Eu sei que, quando a gente fala em direito previdenciário, o primeiro pensamento é logo o INSS, já que é o órgão que controla o regime geral de previdência no nosso país.

Mas, além da pessoa física, as pessoas jurídicas também podem ser seus clientes.

Ué, Carla mas como assim?

Bom, a advocacia previdenciária empresarial está aí pra te provar isso.

Se você nunca pensou em atuar na advocacia previdenciária para empresas, vou deixar aqui alguns pontos que talvez faça você considerar:

  1. toda empresa faz contribuições
  2. a responsabilidade da empresa de arrecadar contribuições
  3. possíveis acidentes de trabalho
  4. possíveis cobranças de contribuições previdenciárias em ações na justiça do trabalho
  5. obrigações previdenciárias das empresas
  6. a empresa e o auxílio-doença (e o famoso limbo previdenciário)
  7. a empresa relacionada a aposentadoria especial do funcionário
  8. crimes de apropriação indébita previdenciária
  9. sonegação previdenciária
  10. entre outros.

Conhecendo esses pontos deu pra imaginar quantos problemas empresas podem enfrentar na área previdenciária, né?

E todos eles podem ser resolvidos por você, ou evitados por meio de uma boa assessoria jurídica.

A verdade é que muitos advogados reclamam da falta de clientes… Mas, no previdenciário, é como se quase todo mundo possa se tornar seu cliente.

Isso porque, ou você é empregado ou você é empregador. De toda maneira, os dois lados em algum momento vão precisar de um advogado previdenciário.

Principais ações previdenciárias

Você já sabe quem pode ser seu cliente, certo?

Então é hora de conhecer quais as ações você pode trabalhar no caso dele.

Vem comigo dominar esse tema!

Aposentadorias

Quando a gente pensa nas principais ações previdenciárias, a primeira coisa que vem à mente são ações de aposentadoria.

Parece um pouco óbvio, né?

Mas como a gente viu antes, todo mundo é, de alguma forma, contribuinte de uma previdência, seja do INSS ou privada.

Ou seja, em algum momento da vida, eu, você e o restante da população vai se aposentar.

Pensando por esse ângulo, o advogado previdenciarista tem um mar de peixe na frente dele, só aguardando o tempo certo pra ser pescado.

Se a gente pensar, por exemplo, nas aposentadorias programáveis, como aposentadoria por tempo de contribuição e especial, já encontramos um leque imenso…

Grande parte da população que ou está se preparando pra aposentar ou teve a aposentadoria negada.

Só que não para por aí, não dá pra esquecer da aposentadoria por invalidez.

Um benefício que depende de pouco tempo de contribuição e sem requisito de idade, ou seja, não é só a população mais velha que pode se aposentar.

E o melhor… Se você pensa que a aposentadoria sempre vai tramitar por anos, sinto uma grande felicidade em contar que não é isso o que acontece na vida real.

Uma ação de aposentadoria que é bem instruída, com provas, cálculos corretos, e com boa fundamentação, pode levar em torno de uns 6 meses até 1 ano e pouquinho.

Quem advoga em qualquer área sabe que isso é um tempo muito curto pra uma ação.

Ah, e pra arrematar essa parte, um outro ponto maravilhoso da aposentadoria, sabe qual é?

Toda aposentadoria teve que passar por um requerimento administrativo antes de virar uma ação judicial.

Então, que tal você instruir seu cliente desde o processo administrativo pra evitar a ação judicial e ele receber a aposentadoria mais rápido?

E você, claro, receber seus honorários muito antes do que imaginava.

Bom, e já que o assunto é aposentadoria, dá uma olhada no presente que trouxe pra você

Alerta de Aposentadorias: chega de abrir mão dos clientes

Vou te contar uma história e depois quero saber quantas vezes ela já se repetiu no seu escritório se você advoga no Previdenciário.

Pois bem… Chega um cliente no escritório para ver se têm direito de se aposentar.

Você faz o cálculo pra verificar o tempo de contribuição e outros detalhes.

Resultado: percebe que a aposentadoria dele ainda demora um pouquinho.

O cliente vai pra casa e nunca mais aparece.

Vai, me diz: quantas vezes isso já aconteceu com você?

Imagino que uma porção, não é mesmo?!

Afinal, a maior parte dos clientes que entra num escritório pra descobrir se podem se aposentar, ainda estão com a aposentadoria distante.

A grande questão é quando chega a data prevista, esses clientes acabam procurando outro advogado.

Até porque, do momento em que eles te procuraram até a hora em que estiverem prestes a aposentar, muita coisa acontece: podem perder o contato do escritório, se mudar e por aí vai.

E olha, um simples email ou ligação na época certa pode fazer eles voltarem ao seu escritório.

Foi pensando em tudo isso que o CJ lançou o alerta de aposentadorias, uma funcionalidade que te avisa quando a data prevista pro seu cliente se aposentar estiver chegando.

Você ativa um “sininho” na aposentadoria que deseja receber o aviso e pronto: quando a data chegar, o programa te avisa e rapidinho você entra em contato com o cliente.

Aí pronto: cliente fisgado! Veja como é simples:


Revisões de Direito

Antes de conhecer as vantagens dessas revisões, é preciso entender o que são revisões de direito.

Então, sem delongas, são revisões que já foram discutidas por meio de alguma tese jurídica no judiciário, e já passaram pelos Tribunais, tendo assim um entendimento consolidado.

É aquela famosa ação que o segurado tem direito, você imagina que vai entrar e ganhar.

Bom, mas a gente sabe que o INSS sempre comete um erro aqui e outro ali na concessão de benefícios, né?

Pois então, existem algumas revisões pacificadas, que é aquele tipo de revisão que se o seu cliente realmente tem direito, não tem como dar errado.

Vai ser o combo perfeito: segurado feliz recebendo mais e advogado faceiro com honorários no bolso.

Pra ficar melhor ainda que esse combo, no CJ mesmo você consegue fazer rapidinho os cálculos de algumas dessas revisões.

E, como se já não fosse incrível o bastante, ainda há modelos de petições prontas pra você adequar aos casos dos seus clientes.

Desse jeito, só não pega a oportunidade quem não quer, né!?

Claro que essas revisões têm requisitos bem específicos pra cada uma, então não é todo cliente que tem direito.

Aí você pode pensar

“Mas se é uma parcela menor que tem direito, não vale a pena…”

Bem, quando o cliente se encaixa nos requisitos específicos da revisão, você sabe que ele realmente tem direito a revisão, então é muito mais seguro que ação já é ganha.

É aquele famoso ditado popular, mais vale um pássaro na mão que dois voando. ;)

Prontinho! Agora já deu pra entender um pouquinho sobre as revisões de direito, certo?

Então bora pra lista dessas revisões que você encontra aqui no CJ:

- revisão da vida toda

- revisão do buraco negro

- revisão do buraco verde

- revisão da ORTN

- revisão da IRSM

- revisão do teto

Se surpreendeu com tantas?

Agora, imagina quantos aposentados ao teu redor podem ter direito a alguma dessas revisões?!

Aposto se até nesse momento você ainda não se convenceu de advogar no previdenciárioa, agora, com certeza, já está considerando essa possibilidade.

Pensão Por Morte

Por fim, mas não menos importante, imagine um benefício que a pessoa que recebe nem precisa ter contribuído pro INSS…

E o melhor de tudo, se ela for contribuinte e já aposentada, pode cumular com a aposentadoria dela…

Pois é… A pensão por morte entra aqui!

Esse tipo de benefício não tem regras difíceis de serem cumpridas, e pode ser pago tanto ao aposentado quanto ao filho dependente que nunca contribuiu ao INSS, por exemplo.

Ou seja, é outro tipo de benefício que faz a gama de cliente no previdenciário ser tão extensa.

E ainda, é mais um tipo de benefício previdenciário em que os requisitos são simples, e se o cliente se encaixa em todos eles, você sabe que não vai ter erro.

Prontinho! Você já está por dentro das ações que pode trabalhar no Previdenciário.

Mas lembre que, sem cálculos, ajuizar uma ação pode ser muito perigoso.

Pensando nisso, pra te deixar com a faca e o queijo na mão, chegou o momento de desvendar os cálculos previdenciários. Vem comigo!

Como são os cálculos previdenciários?

Não tem jeito! Pra saber se o seu cliente tem direito a qualquer benefício previdenciário, os cálculos são essenciais.

São eles que podem indicar se o benefício foi concedido da forma correta e quanto seu cliente vai receber de valores atrasados.

Eu sei que dá vontade de sair correndo só de ver a quantidade de períodos, de salários, e de variantes que podem aparecer em um cálculo previdenciário.

Aí você até pode estar se perguntando…

Poxa, mas os cálculos previdenciários sempre são tão complexos?

Mas olha, a verdade é que, assim como tudo no Direito “depende”, a resposta dessa pergunta também é “depende”.

A complexidade dos cálculos previdenciários “depende” de como você trabalha com eles.

Por exemplo, quando você opta por cálculos manuais, gasta muito do seu tempo e nem tem a certeza de que o cálculo tá certinho.

Então, se você for por esse caminho, com certeza vai achar que cálculo previdenciário é algo difícil, complicado e chato.

Agora, se você sabe que a tecnologia e a modernidade podem ser usadas a seu favor, cálculos previdenciários podem ser muito rápidos, simples e sem nenhum mistério.

Por isso, o caminho é ir direto pra um programa de cálculos que facilita a vida como o CJ!

Você faz os cálculos por lá com rapidez e depois só precisa analisar os resultados conforme o caso do seu cliente.

Tem cálculo que em 5 minutinhos tá pronto. Parece até mentira, mas não é!

Então se você quer poupar horas de trabalho e ter a confiança de um resultado preciso nos cálculos, não caia nessa de usar planilhas baixadas da internet que você nem sabe a procedência!

Como a gente já conversou, não usar um programa de cálculos é um dos grandes erros de quem advoga no Previdenciário.

E é por esse motivo que te digo: aposte em um software que te dê segurança e tranquilidade na hora de calcular.

Você inclusive pode testar o CJ com garantia de 15 dias e mudar o patamar de produtividade do seu escritório.

Mas se ainda está na dúvida sobre o que é possível fazer no CJ, já vou deixar uma “palhinha” aqui pra você:

Quais cálculos previdenciários você pode fazer no CJ

No CJ, além de diversos cálculos cíveis, tributários e trabalhistas, você pode fazer inúmeros cálculos previdenciários. Como:

- cálculo de concessão de aposentadoria programável:

  • aposentadoria por idade
  • aposentadoria especial
  • aposentadoria por tempo de contribuição
  • todas as regras de aposentadoria antes e depois da Reforma da Previdenciária

- cálculo de aposentadoria por invalidez

- cálculo de auxílio-doença

- cálculo de pensão por morte

- cálculo de aposentadoria de professor

- cálculo de aposentadoria da pessoa com deficiência

- cálculo de aposentadoria rural

- cálculo revisões de aposentadorias

- cálculo de complementação de contribuições

- cálculo de liquidação de sentença previdenciária

- cálculo de adicional de 25%

- valor da causa

- cálculo de planejamento de aposentadorias

- cálculo de salário-maternidade

- cálculo de auxílio-reclusão

- cálculo de auxílio-acidente

- cálculo de restabelecimento de benefício

- cálculo de contribuição em atraso

Ufa… é uma super lista!!

O melhor é que caso você tenha alguma dúvida ao calcular, é só entrar em contato com o excelente suporte em tempo real no nosso chat e nosso e-mail.

Bom, e agora que você viu como são muitas as possibilidades de clientes e ações previdenciárias e como são os cálculos, vou te dar uma surpresa…

É que se você não quer lidar com ações judiciais ou fazer consultoria jurídica ou assessorar ninguém e nenhuma empresa, não se preocupe, há espaço também. Vem ver!

Outras áreas em que você pode atuar junto no previdenciário

Com o mundo inteiro tão conectado, a internet abriu outras possibilidades.

Se você tem conhecimento jurídico na área de direito previdenciário, mas advogar não brilha os seus olhos, é possível ganhar dinheiro de outras formas no mundo jurídico!

É por isso que agora vou te mostrar 3 vertentes que estão em alta por conta da internet, e, pra fazer dinheiro em cada uma delas,você não precisa ter uma OAB!.

1. Produção de conteúdo

A gente sabe que produzir conteúdo na internet é algo necessário pra quem quer vender algum serviço ou algum produto.

Mas Carla, eu não quero vender nenhum produto e nenhum serviço, e também não quero me expor nas redes sociais, e aí, como faz?

Tudo bem, a produção de conteúdo ainda assim é pra você.

Muitos sites e blogs jurídicos contratam ou trabalham em parceria com quem tem conhecimento jurídico, para produzir conteúdo.

Uma forma de não aparecer é produzir textos pra empresas, escritórios e blogs jurídicos, como esse que você está lendo agora.

Então que tal usar seu conhecimento jurídico em textos que vão atrair clientes pra outros advogados?

Com o marketing jurídico digital cada vez mais forte, o campo de produção de conteúdo vai crescer cada vez mais. Pode apostar!

Agora, se você não tem problema em aparecer na internet, a produção de conteúdo pode ser feita pela criação de vídeos.

Já pensou em criar um canal de youtube voltado pra advocacia?

Pois é, é comum que escritórios contratem pessoas só pra isso, já que, muitas vezes, os advogados vinculados ao escritório não conseguem fazer esse serviço.

Mas não para por aí! Tem mais possibilidade de atuação, vem ver!

2. Desenvolvimento de Software

Gosta de tecnologia e se interessa em saber como tudo acontece por trás de programas que hoje facilitam a vida do advogado, como o CJ?

Então talvez você deva considerar dar um passo pra área de desenvolvimento de software.

Com a correria do dia a dia de um advogado, os softwares inteligentes que facilitam a rotina têm sido essenciais.

Um programa de cálculo como o CJ, uma agenda digital, um software de gestão de clientes, e assim por diante…

Programas assim deixam nossa vida mais fácil, e permitem resolver coisas em um piscar de olhos.

E quem está por trás desses programas?

O profissional de tecnologia que tem o conhecimento de como criar o programa e fazer ele funcionar. Mas, e antes disso? BINGO! É preciso de um especialista de outra área.

Quando se trata software jurídicos, é preciso de alguém com conhecimento jurídico pra ajudar a desenvolver esse tipo de serviço.

É esse profissional quem vai verificar se o programa está de acordo com as leis, com o esperado, e vai fazer os testes e identificar possíveis erros.

3. Venda de cursos e materiais online

Sim, a internet é um grande meio de vendas e você pode fazer muito dinheiro se souber usar disso.

Se você se sente confortável em aparecer na telinha, que tal juntar todo seu conhecimento em direito previdenciário e monetizar ele?

Criar um curso para outros advogados que ainda estão inseguros na área, é uma excelente opção pra ganhar dinheiro hoje.

Ah, mas eu nem sei como gravar.

Bom, a internet tá aí pra te ensinar a gravar em casa, sem precisar de materiais de gravação profissionais e caros.

Agora se você não gosta muito de aparecer em vídeos, outra opção é a criação de Ebooks.

Esse tipo de material é fortemente escalável e fonte de renda de muitas pessoas hoje.

Se você não sabe como criar um e não quer aprender, é possível fazer uma parceria com algum designer, por exemplo.

Ou, de repente, só escrever o Ebook e contratar um profissional da área de design para transformar a escrita em um livro digital.

Mas lembre… Pra trabalhar com qualquer um desses serviços é preciso que você tenha conhecimento e experiência em direito previdenciário.

Pra isso, você pode contar com os cursos do CJ, do nosso blog e do nosso canal do Youtube que estão cheio de dicas jurídicas incríveis.

Segredos pra começar na área

Bom, com todas as vantagens que a gente já viu sobre a Advocacia Previdenciária, que tal dar o pontapé inicial pra advogar na área?

Pra ajudar com isso e fechar esse post com chave de ouro, vou te contar 2 segredos pra você começar com o pé direito no Previdenciário.

Segredo 1: quem não é visto, não é lembrado

Como a gente conversou antes, sabemos que uma maneira de crescer seu negócio é com o uso da internet.

Se você souber usar ela a seu favor, é possível conseguir clientes até de outros países sem sair do seu escritório ou da sua casa.

Então, o primeiro passo é criar um site para o seu escritório.

Num primeiro momento, você não precisa de um site completo de informação, o básico bem feito nunca falha.

Pra começar, você pode apostar em 2 perguntinhas:Qual é a proposta do seu trabalho? Qual valor ele gera pro cliente que vai te contratar?

Pense um pouco nessas perguntas e coloque a resposta no seu site, de modo que o cliente entenda que você é a pessoa certa pra resolver o problema dele.

Uma outra pergunta essencial é essa aqui: Qual público você vai atender?

Todo o conteúdo do seu site deve ser direcionado pra esse público.

Uma dica pra ajudar a descobrir seu público é responder quais ações você vai atender..

E, por fim, deixe no campo de visão do cliente o seu contato e uma maneira rápida e fácil pra ele falar com você.

A vida tá super corrida e as pessoas querem tudo pra ontem, então aquela história de aguardar semanas pra uma consulta com advogado já passou.

Pensando nisso, que tal inserir um botão de whatsapp no seu site?

Colocar um formulário de contato com perguntas direcionadas pro seu público e um espaço pro cliente já escrever o caso dele podem fazer muita diferença no seu negócio jurídico.

E claro, o cliente precisa também saber onde te encontrar, não é mesmo?!

Então, não deixe de cadastrar seu escritório no Google meu negócio.

Sabe quando você joga no google o nome daquela pizzaria e aparece no canto na página o endereço e o telefone?

Então, é isso que você vai fazer cadastrando seu escritório nesse campo do Google.

Segredo 2: bom atendimento e atenção, os grandes diferenciais

Dedique um tempo para lidar com a gestão e o atendimento ao cliente.

Um bom atendimento é um diferencial em qualquer profissão, e, mais ainda, com o advogado.

O cliente quer ser ouvido e quer se sentir importante.

Então, depois que fechar o contrato, pense em maneiras de fazer seu cliente sentir que o caso dele é importante pra você.

Mantenha informado sem que ele precise ligar no seu escritório ou correr atrás de você pra saber como está o processo.

Lembre que, clientes de previdenciário, muitas vezes, dependem daquele benefício ser concedido para a sobrevivência.

Então não deixe de tirar uns 5 minutinhos pra mandar um whatsapp ou um e-mail sobre o andamento da ação.

Tenho certeza que ele vai apreciar sua dedicação.

Todo mundo gosta de um bom atendimento e de atenção.

O bom é que pra fazer isso sem dar bola fora com o cliente, não é preciso ter em mente todos os casos que você tiver no escritório.

Dá pra fazer pequenos registros das interações que você teve com o cliente, até mesmo para te ajudar a montar uma petição de caso concreto, por exemplo.

Foi pensando em te ajudar com isso, que o CJ disponibilizou um campo de anotação no perfil de cada cliente do usuário dentro do programa.

Lá você pode anotar questões do cálculo e da ação, se está aguardando algum documento, enfim, todas as possibilidades.

Assim, dá pra concentrar informações em um só lugar, de maneira prática e sem perder tempo tendo que verificar vários aplicativos.

Inclusive, foi pensando na importância do atendimento do advogado com o cliente, que o CJ disponibiliza também um curso de como fazer atendimentos previdenciários.

Brilhou seus olhos, não é mesmo?!

Então se ainda não usa o CJ, comece agora e, além de fazer cálculos com tranquilidade, faça também a gestão dos clientes sem estresse.

4 ferramentas pra você garantir agora um bom começo no Previdenciário

Você já viu que, com o CJ, é possível deixar cálculos previdenciários rápidos e fáceis e que a gestão do seu escritório não precisa dar dor de cabeça.

Mas não para por aí, viu?

Como vou te mostrar agora, além de tudo isso, existem outras 3 formas de poupar tempo e aumentar a produtividade com o CJ, olha só!

Ferramenta 1: Banco de Petições Testadas e Atualizadas

O advogado que nunca procurou na internet algum modelo de petição pra adequar ao seu caso e ficou desapontado com os resultados, que atire a primeira pedra hehe.

Felizmente, o CJ te ajuda nisso!

No CJ, você vai encontrar um bando de petições testadas e atualizadas, todas baixáveis e editáveis, com algumas indicações do que você deve alterar pro seu caso. Fácil né?

Além de economizar tempo, você vai estar com modelos de petições corretos e seguros, bem diferente dessas petições duvidosas que a gente encontra por aí.

Ah, além disso, esse banco de petições não abrange só a fase judicial… Você também vai ter acesso a petições administrativas.

E, cá entre nós, uma boa petição na esfera administrativa pra fazer o requerimento, pode te poupar de meses de ação judicial lá na frente.

Ferramenta 2: Suporte com especialistas

Tem uma outra ferramenta no CJ que vai te ajudar a iniciar com o pé direito no direito previdenciário: o suporte com nossos especialistas.

Esse suporte é realizado por pessoas reais, com experiência na área e prontas pra esclarecer as dúvidas sobre os cálculos realizados no programa. Olha que incrível:


Então se você não entender algum resultado ou como realizar algum cálculo, não se preocupe!

Você pode tirar suas dúvidas através de um canal de chat em tempo real, de segunda a sexta-feira das 9h às 18h.

Ferramenta 3: Cursos focados em direito previdenciário

Prontinho! O que faltava pra você iniciar com tudo na área de direito previdenciário está aqui: os cursos exclusivos do CJ.

Se você leu até aqui e você não tem nenhuma noção de direito previdenciário, pode relaxar!

Com os cursos do CJ você vai aprender sobre a área de forma rápida e prática. Ah, e todos os cursos têm certificado.

Dá uma olhadinha nos cursos que você já pode começar a assistir agora no programa:

- Contribuintes Individuais (CI): tudo que o advogado precisa saber

- Primeiros passos para um Planejamento Previdenciário de sucesso

- Curso de Revisão da Vida Toda

- Curso de Aposentadoria Especial e Análise do PPP

- Curso de Atendimento Previdenciário na prática

Bom demais não é mesmo? ;)

Dica bônus: E por falar em vídeos, toda terça-feira às 11:57h o CJ faz uma live com advogados especialistas em direito previdenciário e em outras áreas com dicas imperdíveis do mundo jurídico.

Então não deixe de ficar de olho no perfil do CJ no Instagram!

Ferramenta 4: Gráficos para relatórios

Você já ouviu falar em Visual Law?

Essa é uma tendência que cresce a cada dia mais na Advocacia e que busca simplificar o entendimento de termos e documentos no universo jurídico.

Pra te ajudar a surfar nessa onda, o CJ começou a disponibilizar vários gráficos no programa pra você anexar nas suas petições e aumentar as chances delas serem compreendidas e aceitas.

O gráfico dos períodos de contribuição, por exemplo, deixa muito mais fácil identificar períodos em que a pessoa contribuiu em mais de um vínculo.

O melhor é que ele até permite ver rapidinho períodos em que o INSS não considerou as contribuições. Olha só:

Visual law ferramentas

Até as calculadoras grátis do CJ apresentam os resultados de forma gráfica.

Veja este exemplo da nossa Calculadora Grátis de Qualidade de Segurado:

Exemplo de Visual Law na prática

Com esse gráfico, fica muito simples ver o que faz aumentar o tempo com qualidade de segurado no caso, não é mesmo?!

Pois é! Então se você já quer colorir suas petições com gráficos assim, surfe com o CJ na onda do Visual Law.

Conclusão

Ficou muito fácil começar e ter sucesso na área de direito previdenciário!

Afinal, aqui você viu truques preciosos que muitos advogados gostariam de ter recebido ao iniciar a carreira.

Agora você já sabe:

  • Porque essa área dá dinheiro
  • Quais são as possibilidades de atuação no Previdenciário
  • Quem pode ser o seu cliente
  • Os principais erros ao começar
  • Como são os cálculos
  • E muito mais!

Com todas essas dicas, voce vai começar já com a direção certa pra lucrar muito na Advocacia Previdenciária.

Assim, você já vai sair na frente de muitos advogados que vão começar sem direcionamento, perdidos e apavorados quando tiverem que fazer algum cálculo, por exemplo.

Bom, vou ficando por aqui, mas não sem antes te lembrar de deixar suas dúvidas e sugestões nos comentários pra mim.

Espero que tenha gostado do post. Até o próximo!

Faça cálculos precisos em minutos

Assista cursos exclusivos

Acesse dezenas de modelos de petições
Cálculo Jurídico - múltiplos serviços Experimente o CJ

Cálculo Jurídico é o software de cálculos previdenciários para advogados de sucesso que levam a sério o seu trabalho. Ele acaba com a dor de cabeça dos cálculos previdenciários. Assim você tem mais tempo para advogar e ganha mais dinheiro, reconhecendo mais direitos dos seus clientes.
Faça hoje um teste com garantia de dinheiro de volta e comprove. Aumente a RMI com a nova ferramenta da "Melhor RMI automática".

Artigos relacionados

Deixe um comentário aqui embaixo, vou adorar saber o que você achou!