Previdenciário

Como a reforma na previdência que está assustando muita gente pode te deixar rico

Tempo de leitura: 11 minutos

Baixe o bônus do CJ

E algumas petições de presente

30 Petições Previdenciárias usadas em casos reais que deram certo

Parece contrário a tudo o que estão falando, não é!?

Mas vou contar uma história de sucesso num cenário muito parecido com o que estamos vivendo agora, às vésperas da Reforma Previdenciária e depois vou mostrar em 4 pontos como você vai fazer isso acontecer.

Como minha mãe ganhou muito dinheiro em 1998

Você já deve estar até incomodado com o tanto de matérias e informações na mídia sobre a Reforma da Previdência. É certo que a reforma era algo inevitável, todos nós do direito previdenciário já sabíamos disso.

O que quero te mostrar agora é que essa reforma é a melhor coisa que já aconteceu para o seu escritório.

Vocês já sabem que sou apaixonado por direito previdenciário (e por café). E é de família (inclusive o café). Minha mãe trabalha com direito previdenciário desde a faculdade, antes mesmo de se formar e, desde pequeno, eu via minha mãe e familiares discutindo sobre a previdência. Acredito que tenha sido assim que eu me encantei por essa área (e talvez porque toda a minha família também é dessa área, hehe). Dessas conversas, a mais importante pra mim foi a da reforma de 1998.

Na época, a mídia era muito diferente e não tínhamos acesso à informação como temos hoje, então a reforma não causou tanto furor como a de hoje, mesmo porque aquela foi menos impactante do que essa no tocante à supressão de direitos (isso é bem importante, vou falar de novo sobre isso depois).

Você deve estar pensando: “Tá! E o que esta reforma tem a ver com a reforma de 1998?”. Tem uma coisa, mas é algo que fará toda a diferença na sua vida e na de todo mundo que trabalha com direito previdenciário.

A nova reforma assim como a de 1998 abre uma imensidão de possibilidades, direitos e revisões para os advogados, que terão mais trabalho do que nunca para conseguir garantir direitos do cidadão, direitos que simplesmente desaparecerão caso os advogados não atuem.

Ou seja, o advogado previdenciário terá a oportunidade de ajudar milhares de brasileiros que estão desesperados com suas aposentadorias e, de quebra, irá ter muito mais clientes, processos e faturamento.

O mercado nunca esteve tão bom para ser um advogado previdenciário!

Vou contar um pouco mais sobre a minha mãe, que teve uma origem humilde e conseguiu mudar de vida com a Reforma de 1998 e você vai ver que tem tudo a ver com o que estamos vivendo hoje. Minha mãe nasceu no sítio, trabalhou como bóia-fria, fez ensino supletivo e se formou em Direito quando tinha 34 anos. Graças à reforma de 1998, ela conseguiu comprar 4 apartamentos, 2 carros e uma casa para os meus avós, enquanto muitos de seus conhecidos se desesperaram e deixaram a chance passar (você vai deixar passar essa chance agora? Pode ser a última grande chance de mudar sua vida!).

Na época, o direito previdenciário não era uma área muito atrativa e não se ganhava tanto dinheiro com as aposentadorias como em outras áreas do direito. Acontece que a Reforma de 1998 abriu inúmeras possibilidades de ações judiciais e minha mãe se preparou para atender todos esses clientes. O INSS demorou muito para se adequar às alterações legislativas e praticamente todas as decisões dele tinham alguma possibilidade de revisão. Minha mãe estava lá preparada para ingressar na justiça e garantir o direito dos seus clientes!

Além disso, muitos clientes, apesar de possuírem o direito para se aposentar, estavam aguardando assuntos pessoais. Quando veio a Reforma, como as aposentadorias iriam piorar (como está acontecendo agora), a mídia fez o papel dela (e olha que nem tinha Face) e todo mundo que tinha qualquer possibilidade de se aposentar correu para os advogados previdenciários para não perder este direito.

Foi assim que ela conseguiu ganhar muito dinheiro, ampliou o escritório, contratou novos funcionários e terceirizou alguns serviços fundamentais para o trabalho, mas que ninguém sabia fazer, como o cálculo dos benefícios. Minha mãe sempre me disse que para ingressar com qualquer processo previdenciário a parte mais importante é o cálculo, porque ela viu muita gente perder tempo e dinheiro com ações que reduziram o valor do benefício dos seus clientes ou simplesmente não geraram nenhum resultado financeiro. Foi assim que eu me encantei com essa área de cálculos jurídicos.

Eu tenho escutado a minha mãe falando tudo o que ela disse em 1998: que os advogados precisam se preparar e estar disponíveis para todas as possibilidades de trabalho que a Reforma vai trazer e assim irão ganhar muito dinheiro através de seu trabalho, que é garantir a toda a sociedade acesso aos seus direitos suprimidos pelo INSS.

Para você ter ideia, ela já está se preparando para a reforma desde o começo do ano passado, entrando em contato com os clientes que ela já possui, desenvolvendo uma página no facebook e um novo site que são um sucesso entre seus clientes.

Como especificamente você vai ganhar dinheiro?

Você já deve ter visto um monte de matérias na internet falando sobre as mudanças que a reforma (PEC nº 06/2019) vai trazer.

O que vou mostrar agora é como você pode usar essas mudanças a seu favor.

Pela minha experiência em direito previdenciário, posso afirmar que quanto mais rigorosa e ampla uma alteração legislativa previdenciária:

  • mais direitos são suprimidos da população
  • maior a quantidade de pessoas procurando advogados previdenciários preparados
  • mais ações revisionais e discussões judiciais surgem

Não vou discutir se a reforma é boa ou ruim. Já tem muita gente fazendo isto! O que vou fazer aqui é mostrar objetivamente as novas possibilidade de atuação nesse momento para você e o que você deve fazer para faturar muito nesse cenário.

1. Tenha as respostas certas e deixe os seus clientes tranquilos

O clima é de tensão total para a população, ninguém sabe exatamente quais os impactos que a Reforma vai gerar. É muito importante que você esteja preparado para fornecer as respostas que os seus clientes e futuros clientes precisam.

Principais dúvidas que os seus clientes terão nesse momento:

  1. Tenho direito a me aposentar agora?
  2. Quando posso me aposentar?
  3. Qual o valor do salário do meu benefício se eu me aposentar agora?
  4. Serei muito afetado pela Reforma?
  5. Se a Lei mudar, eu ainda posso me aposentar?

Para você dar essas respostas de maneira correta, precisa analisar uma série de fatores, como: o tempo de contribuição, os salários de contribuição, o tipo de atividade, as espécies de benefícios atuais (aposentadoria proporcional, aposentadoria por tempo de contribuição, aposentadoria por pontos etc), além das possíveis espécies de benefícios futuras.

Se você for fazer isso sozinho, não será um trabalho rápido, nem fácil. Você terá que fazer várias dessas análises, simular cenários e não pode perder tempo. Por isso é muito importante ter um aliado para te ajudar.

Encontre a forma mais rápida e prática de fazer cálculos previdenciários, porque isto vai permitir a você responder sem pestanejar todas essas perguntas. Lembra do conselho da minha mãe sobre os cálculos previdenciários!? (Adivinha qual software ela usa? :) )

2. Aumente o seu número de clientes

Esse é o momento ideal para aumentar a sua carteira de clientes!

Serviços como consultoria, planejamento previdenciário e pareceres jurídicos (da análise de requisitos para as aposentadorias) estarão em alta. E esses serviços deverão, é claro, ser cobrados de acordo com a tabela da OAB, afinal esse é o seu trabalho e você merece o seu pagamento por ele.

Além do mais, para quem sempre quis atuar em outras áreas do direito previdenciário, o nicho de regime próprio e o direito previdenciário empresarial são ótimas oportunidades. Isso significa muito mais clientes no mercado para os advogados que estiverem preparados.

4 dicas para conseguir mais clientes durante a reforma

Dica 1: Aumente a chance do cliente te indicar

Uma das principais formas de conseguir clientes é através da indicação. E o seu cliente só te vai indicar, se ele estiver muito contente com o seu trabalho. Aproveite a dica que te dei no tópico anterior e aumente a confiança do cliente no seu trabalho. Dê informações exatas para ele e o impressione pela rapidez.

Dica 2: Tenha uma lista de emails

Eu não sei se você já tem uma lista de email dos seus clientes ou de seus prospectos, caso tenha, ótimo! Se ainda não tem, faça o quanto antes. Com uma lista de emails você pode manter seus clientes informados sobre a reforma. Isso faz com que as pessoas confiem em você. E a gente só faz negócios com quem confia. Não é!?

Dica 3: Use as redes sociais da forma certa

Se você está começando no direito previdenciário aproveite as redes sociais para conseguir mais clientes. Faça posts claros e objetivos nas suas páginas com conteúdo ÚTIL para eles. NUNCA envie conteúdo que eles não possam aproveitar. Esse é o maior erro e o mais comum que vejo por aí.

Faça suas redes sociais transbordarem de informação útil.

Dica 4: Fale a língua do cliente

Lembre-se de falar na linguagem que o seu cliente quer ler. Não adianta colocar um monte de lei no post :). Você está escrevendo para seus clientes e não para outros advogados!

Falando novamente sobre a minha mãe, meu maior exemplo de sucesso profissional, ela começou o escritório dela com um fax (a maior tecnologia da época, hehe). E ela conseguiu! Você também consegue encher seu escritório!

História de sucesso da Dra Aparecida Ingácio em 1998

3. O INSS demora se adaptar, utilize isso a seu favor e não perca tempo

O INSS é regido pela IN (instrução normativa) e não diretamente pela lei. Isso faz com o INSS demore muito para se adaptar às mudanças legislativas. Isto abre muitas possibilidades de revisão de benefícios.

O seu cliente não pode ficar esperando o INSS se adaptar, o direito dele deve ser atendido na hora que ele precisa. É o seu momento.

4. Direito Adquirido e Regra de Transição, saiba identificar esses direitos e tenha ainda mais sucesso

Esse ponto é fundamental. Todos aqueles que têm direito adquirido não serão afetados. Mas a gente sabe que o INSS não tem estrutura para analisar tod_s as possibilidades de benefício para o cidadão. Ele analisa apenas superficialmente as possibilidades de benefícios e isso gera muitos benefícios indeferidos ou concedidos com um valor muito menor do que poderiam ter.

Por exemplo

Vamos imaginar o seguinte cenário:

A PEC entra em vigor em 11/09/2019 e o Marcos vai ao INSS no dia 14/09/2019.

Nessa data ele preenche os requisitos para a aposentadoria após a Reforma:

  • 65 anos e 34 anos de contribuição

O INSS vai conceder para ele o benefício de aposentadoria por idade e o Marcos vai sair faceiro do INSS, porque se aposentou.

Acontece que o Marcos trabalhou 4 anos em uma metalúrgica e tem direito a conversão deste período em tempo especial.

Se você analisar este cenário, perceberá que em 10/09/2019 (antes da mudança legislativa) ele já tinha direito ao benefício de aposentadoria por pontos, uma aposentadoria ao menos 15% melhor que a concedida pelo INSS.

No caso do Marcos, você como advogado tem o dever de analisar todas as possibilidades de aposentadorias e descobrir qual a melhor possibilidade de aposentadoria para ele. Faça assim com cada cliente seu e você vai achar muita, mas muita mesmo, revisão escondida por aí. (Deixe seu e-mail e receba a nossa Ficha de Entrevista Comentada para descobrir benefícios escondidos)

Ah, e tem a regra de transição!

A regra de transição visa aliviar a barra daqueles que estavam na cara do gol: prestes a se aposentar, mas que ainda não implementaram todos os requisitos. O fato é que depois da Reforma, você sempre terá que calcular para todos os seus clientes

  • A regra antiga
  • A regra de transição (que muda ano a ano)
  • A regra nova

Sabemos que o INSS ainda não tem estrutura para analisar todas as possibilidades de cálculo sozinho, para ele é muito difícil aprimorar a sua tecnologia, mas pra você é muito mais fácil se preparar para isso.

Veja o caso do João em que a Regra de transição de 1998 e 1999 foi calculada e fará muita diferença no benefício dele. Ele tem direito tanto a aposentadoria por tempo de contribuição, quanto a aposentadoria por tempo de serviço em 1998. (as aposentadorias que ele tem direito estão marcadas com uma estrelinha)

Cálculo do Tempo de Contribuição no Cálculo Jurídico

A história do João é a mesma de milhares de brasileiros. Ele tinha se aposentado administrativamente em 2008, sem averbar um período especial entre 1987 a 1999 em que trabalhou como eletricista. Algo bem comum no direito previdenciário.

Então, quando chegou no escritório procurando uma revisão, a primeira coisa que vimos foi justamente a possibilidade de averbar este período especial. Muitos advogados inexperientes iriam parar a análise por aqui e pedir judicialmente a revisão da aposentadoria por tempo de contribuição de 2008.

Mas quando fomos analisar todos os cenários, descobrimos que ele tinha direito a aposentadoria por tempo de serviço em 1998, que no caso dele será muito mais benéfico.

_

Não ignore esse cálculo da regra de transição! Essa regra vai fazer parte da sua vida nos próximos anos, assim como a regra de transição de 1998 ainda faz parte dos meus cálculos.

E aí!? Perdeu o medo da Reforma?

Reveja este post sempre que precisar e aproveite o resto do conteúdo grátis que disponibilizamos no nosso site. Essa também é uma forma de se preparar para a Reforma que vem por aí. Vou falar muito mais sobre ela para que você fique atualizado.

E se você está animado com todas as oportunidades que estão surgindo no previdenciário, então você tem que ver como funciona o primeiro escritório previdenciário 100% online do Brasil. Eles fecham mais de 100 contratos previdenciários por mês, sem um único atendimento previdenciário.

Agora pegue um café, escolha o melhor software de cálculos previdenciários e se prepare para ajudar muitos brasileiros a conseguirem seus direitos. Seu escritório vai crescer muito se você pensar dessa forma.

Se você está gostando do nosso conteúdo, você pode deixar seu email aqui embaixo e eu vou enviando mais conteúdo de qualidade para você. (Nunca vou te enviar coisas inúteis)

Fale pra mim o que você está pensando ali nos comentários.

Artigos relacionados

Deixe um comentário aqui embaixo, vou adorar saber o que você achou!