Cível

Como iniciar no Direito Civil: passo a passo para advogados

Baixe o bônus do CJ

Acesse materiais que simplificam o Direito.

Cível, a maior área do Direito e ainda há quem tem medo de se aventurar

Os motivos são vários… Tem colegas advogados com receio de começar por acreditarem que não dão conta…

Outros pensam que o mercado está saturado e não tem demanda pra novos advs.

Enfim! Toda hora surge uma nova desculpa ou um novo obstáculo…

Mas deixa eu te contar um segredo: não tem nada disso, a área tá pegando fogo!

A advocacia cível é a maior área do Direito e tem cliente saindo pela janela.

O motivo? Todo mundo tem uma questão cível pra resolver.

Então pode deixar qualquer medo de lado porque apostar na advocacia cível é um tiro certeiro e eu vou te provar isso aqui!

É que neste post você vai ver o quanto o mercado está aquecido e com muitas demandas pra alavancar o lucro do seu escritório.

Bom, e se você chegou agora no fantástico mundo do direito civil, está prestes a conhecer o melhor atalho pra iniciar sua carreira com muito sucesso.

Afinal, vou te mostrar quais são as estratégias certas e quem é o seu novo melhor amigo pra começar na área com a corda toda!

Olha só quanta coisa incrível você vai descobrir aqui:

  • Visão geral do direito civil: a maior área do direito!
  • Onde você pode atuar
  • Quem pode ser seu cliente
  • O que você precisa pra começar na área
  • Principais ações e teses
  • E muito mais!

Viu só o tanto de coisa bacana?!

Pois é! Então anota o que te digo: você vai sair da leitura com uma visão geral da maior área jurídica - e ouso dizer, a melhor!

E mais! Ainda vai levar pra casa um passo a passo incrível pra começar na área na frente de muitos colegas advogados que estão “comendo bola” e ainda acreditam que não vale a pena.

Aposto que você vai sair daqui com os olhos brilhando…

Vamos lá?!

Dica: corre pra salvar este post e voltar aqui sempre que estiver em dúvida se vale a pena iniciar essa aventura.

Visão geral do Direito Civil: a maior área do direito!

Sou suspeita pra falar porque é a maior área do direito e meu ramo jurídico favorito.

Inclusive foi o que me fez apaixonar pelo curso.

Me conta nos comentários se foi assim com você também!

Bom, você sabe que o Direito Civil é uma das principais áreas do Direito Privado, certo?!

Ele pode ser definido como o “direito do cidadão”, já que trata das regras e condutas que pessoas físicas e jurídicas devem ter em sociedade.

E olha, o Direito Civil não só é muito importante pra vida em sociedade e na garantia dos direitos individuais e coletivos, como também faz parte de toda a atividade profissional do Direito.

É uma das esferas mais amplas do universo jurídico, pois acompanha todos os cidadãos desde antes do nascimento até a morte.

Afinal, é a área que lida com as questões da família, da vida e da morte da pessoa física, com a relação de propriedade, do casamento, entre outras.

Mas o que isso significa, Ana Cecília?

Simples! Que o Direito Civil está presente na vida das pessoas o tempo todo.

Na minha, na sua, na dos seus clientes.

É uma área em que a prospecção de clientes é muito fácil, todo mundo tem uma questão cível pra resolver.

É por isso que quase todo escritório tem um advogado que atua na área.

Parece muito amplo, né?

Mas não preocupa porque já vou te dar o caminho das pedras pra que você não se perca em tantas possibilidades.

A pergunta que não quer calar: direito civil dá dinheiro?

Talvez o maior medo de entrar de cara na advocacia cível seja achar que não dá dinheiro.

Escuto de muitos colegas que não compensa iniciar na área, pois o mercado já está saturado e não tem mais clientes.

E que, por isso, o direito civil não dá dinheiro.

Mas deixa eu te contar um segredo: isso não é verdade!

Tanto é assim, que, na Justiça Estadual, só no ano de 2020 foram movimentados cerca de 6 milhões de novos processos cíveis.

Um número alto, não é mesmo?!

É o que mostra os dados coletados pelo Conselho Nacional de Justiça em seu relatório anual da justiça em números.

Olha só o gráfico do CNJ que representa a movimentação processual na Justiça Estadual:

Como começar na área cível

Uma coisa é certa: se tem essa quantidade de novos processos rolando, é porque tem muitos clientes com demandas cíveis pra serem resolvidas.

Pensa comigo… O direito civil é a área jurídica mais ampla e que atinge o maior número de pessoas.

Isso faz com que os litígios não parem de crescer.

São tantos e tantos que até falta advogado pra atender a todas as demandas.

Afinal, como a gente já conversou, as pessoas precisam de um adv civilista em todas as etapas da sua vida.

Por exemplo, quando ocorre um falecimento na família, embora a perda de um ente querido seja algo difícil de lidar, é um momento em que a figura do advogado civilista é essencial.

É preciso dar início à sucessão (inventário e partilha de bens) e um adv é necessário pra que exista a garantia de que os direitos civis estão sendo aplicados e executados da forma mais correta possível.

Outro caso prático de prospecção de clientes é a revisão do FGTS.

Milhares de trabalhadores têm direito à revisão e, muitas vezes, nem sabem.

Além disso, tem sempre alguém que precisa cobrar aluguéis ou ajuizar uma ação revisional.

Aposto que você conhece um amigo ou cliente que quer divorciar, revisar os juros de um contrato bancário, comprar bens, abrir uma empresa ou que precisa fazer um bom contrato de aluguel.

Pra estes e diversos outros casos é preciso ter um advogado civilista.

Então me diz: Pelo número de novos processos no ano de 2020 e a gama de opções de áreas cíveis, deu pra você perceber como não vai faltar cliente, né?!

Pois é! O resultado de clientes + várias ações e frentes de atuação é lógico: muitos lucros pro seu escritório.

Então, pode tirar da cabeça que o direito civil não dá dinheiro..

A área é a escolha certa pra deslanchar na carreira.

Onde posso atuar no direito civil?

Na maior área do direito existe um universo fantástico prontinho pra você se aventurar…

Dentro do Direito Civil existem várias subáreas de atuação pra você advogado, olha só as principais:

  • Direito das Famílias
  • Direito dos Contratos
  • Direito das Obrigações
  • Direito das Sucessões
  • Direito das Coisas
  • Direito Empresarial
  • Direito do Consumidor
  • Direito Bancário
  • Responsabilidade Civil

São muitas, não é mesmo?!

Pois é! São várias especialidades e inúmeras oportunidades de atuação.

E sabe o que todas elas têm em comum?

As possibilidades de prospecção de clientes são infinitas!

Esta é a principal vantagem de se aventurar no fantástico mundo da advocacia cível.

Aposto que seus olhos brilharam quando percebeu isso! hehe

Mas tem mais, viu?

Além de tudo isso, o mercado permite que você exerça advocacia cível consultiva e contenciosa.

Olha só a diferença entre os 2 tipos de atuação do advogado civilista:

  • Consultivo:

Objetivo: evitar demandas judiciais, de forma preventiva e pré processual, com caráter de orientação.

Atuação: prevenção de riscos e a resolução de conflitos já existentes, fora da justiça.

  • Contencioso:

Objetivo: resolução de litígios

Atuação: proporciona o acesso à justiça de um conflito preexistente, em que não existe outra forma de solucionar o conflito.

Pra ficar mais claro, no consultivo cível, você pode atuar com:

  • análise de risco de negócios
  • elaborar minutas de contratos e pareceres
  • acompanhar os clientes nos negócios jurídicos
  • fazer acordos
  • fazer planejamento contratual e societário.

Veja que, no consultivo, você vai trabalhar de forma que previna futuros litígios e traga soluções jurídicas criativas.

Já no contencioso, você pode atuar de forma efetiva nas demandas judiciais do seu cliente, os representado nos tribunais durante todo o processo.

É o momento de atuar em ações de:

  • cobrança de aluguel
  • revisão do FGTS
  • divórcio
  • entre outras.

No contencioso o advogado civilista acompanha seu cliente do início ao fim do processo, seja na defesa ou acusação, em todos os graus de jurisdição e em todas as fases processuais.

Viu só como o mercado é diverso?

Você consegue prestar assessoria jurídica em várias áreas e com diversas formas de atuação.

Afinal, quem pode ser meu cliente?

Olha só, na advocacia cível você pode ter clientes pessoas físicas e pessoas jurídicas, viu?

Tudo depende da ação que você vai ajuizar ou do tipo de consultoria que vai prestar.

Por exemplo, nas ações de aluguéis (cobrança, execução, revisional, despejo) seu cliente pode ser tanto o inquilino quanto o locador, sejam eles PF ou PJ.

Ah, e você pode oferecer a advocacia consultiva também tanto pra PF ou pra PJ, como na elaboração de minutas contratuais e pareceres.

Sua gama de clientes aqui é infinita! Afinal, todo mundo tem um problema cível pra resolver, desde a dona de casa até o grande empresário.

Quais são as principais ações cíveis?

Isso mesmo! Chegou o momento de descobrir quais são as ações e temas mais recorrentes que você pode atuar como civilista.

São tantas e tantas opções que questões cíveis aparecem no top 5 com os maiores quantitativos de processos em todas as instâncias da Justiça Estadual, de acordo com relatório anual do CNJ.

O destaque fica para ações relacionadas a:

  • Obrigações/Espécies de Contratos
  • Responsabilidade do Fornecedor
  • Indenização por Dano Moral
  • Família/Alimentos.

Veja bem, os temas cíveis tratados na esfera estadual representam aproximadamente 66% do total de processos ingressados no Poder Judiciário.

Daí você percebe o quanto o mercado precisa de profissionais…

Olha só quais são as principais ações cíveis:

  • Ações de Aluguéis (cobrança, execução, revisional e despejo)
  • Ação de Revisão do FGTS
  • Ações de Família
  • Ações Bancárias
  • Ações de Indenização

Estes são alguns exemplos dos processos mais demandados na justiça comum no ano de 2020.

E sabe o que é mais incrível?! Das 5 principais ações, 3 delas você pode de letra com a ajuda do CJ:

Olha que demais! Além dos cálculos, no programa, você ainda pode contar com petições super embasadas preparadas pelo nosso time de especialistas.

É muita facilidade, não é mesmo?!

Mas não acaba por aí não…

Logo logo vai ter uma surpresa que vai deixar os civilistas de queixo caído.

Fica ligado nas redes do CJ porque em breve tem cálculo cível novo saindo do forno.

Bom, e agora pensa aqui comigo…

O seu leque de ações e ramos de atuação dentro da maior área do direito é gigante, isso não dá pra negar, certo?

Mas já que existem tantas opções, como escolher a área cível que mais combina com você?

Te dou a luz pra essa pergunta agora mesmo. Vem ver!

Especialidades na área cível: qual seu match perfeito?

Você percebeu o quanto a área de atuação no cível é diversificada, não é mesmo?!

São tantas possibilidades que fica difícil escolher qual ou quais especialidades seguir.

É como aquela sensação de estar num restaurante e o cardápio oferecer tantas opções, que você não sabe o que pedir.

Mas olha, se não sabe como decidir, saiba que não é só você!

Muitos colegas têm esse sentimento e é por isso que agora vou dar dicas de como escolher a sua especialidade certa.

Quando terminar a leitura, tenho certeza que vai conseguir descobrir qual área cível dá um match perfeito com você.

E olha, pode até ser mais de uma, viu?!

Afinal, como o Direito Civil faz parte do nosso dia a dia, a gente pode se identificar com mais de um ramo.

Bora lá para os macetes de como escolher a especialidade no cível?

1. Identifique seus gostos e habilidades

Ao escolher um ramo do Direito Civil, é importante considerar todas as suas preferências, habilidades e afinidades.

Você já sabe o que cada uma das especialidades faz e quais são as ações mais comuns, certo?

Dentre elas, tenho certeza que existe, pelo menos, uma que não bate muito com o que gosta e acaba que não tem nada a ver com você.

Assim, o ponto de partida aqui é eliminar as que não se identifica muito e identificar as matérias cíveis que você mais gosta.

Lembre que, trabalhar com algo que a gente gosta, nos mantém motivados e empenhados a alcançar o sucesso.

2. Explore suas opções

Não se desespere e decida qual especialidade cível seguir da noite pro dia.

Você tem tempo pra entender qual é seu match perfeito.

Então, conheça um pouco mais sobre cada área de atuação dentro do Direito Civil.

Pra isso, tenha pelo menos uma experiência em todas elas. Assim, vai ser possível entender quais você se identifica melhor.

Acompanhe audiências, faça petições, leia sobre elas no Blog do CJ, analise diligências, participe de conciliações, faça os cursos exclusivos do Cálculo Jurídico

Conheça e explore todas as opções antes de escolher o que mais tem a sua cara. Quem sabe você não acaba se apaixonando por algo surpreendente?!

3. Converse!

Converse bastante, sem medo de ser feliz!

Isso mesmo, fale com antigos professores e com colegas advs que atuam nestes ramos.

Uma conversa com um professor, um especialista ou um advogado que atua em suas áreas de interesse pode ser decisiva pra sua escolha.

Com certeza, você vai ouvir uma opinião sincera e poderá analisar se as experiências vividas por esse profissional estão de acordo com aquilo que você deseja para o seu futuro.

Além disso, vai ser possível entender melhor o dia a dia da especialidade e conseguir identificar se combina com você.

Gostou desses 3 macetes de como escolher sua área cível?

Aproveita e me conta nos comentários se já achou o seu match perfeito.

Ah, já vou logo dizendo que você também pode aplicar as mesmas dicas pra escolher uma especialidade dentro dos outros ramos do Direito.

O que foi compartilhado nesse tópico vale pra ajudar na escolha de qualquer área jurídica!

E se a área que você quer seguir é mesmo a cível, pode abrir aquele sorrisão…

Afinal, pra fechar esse post com chave de ouro, separei dicas que advogados de sucesso usaram pra iniciar nesse caminho e vou compartilhar agora contigo. Vem comigo!

Como é a estrutura do Direito Civil?

Começar em uma nova área pode ser cheio de desafios, não é mesmo?!

Ainda mais em uma área tão grande como a cível…

Só na Justiça Estadual existem 2.346 Varas Exclusivas Cíveis, fora as Varas mistas e os Juizados Especiais.

Pois é! É um número alto…

Sem o aliado certo do seu lado você pode ficar sem conhecer os segredos que te ajudam a desbravar novos mares com mais tranquilidade.

Mas você que anda de mãos dadas com o CJ pode relaxar…

O Cálculo Jurídico é o parceiro perfeito pra te acompanhar na sua nova aventura e vai revelar agora os segredinhos que você precisa conhecer no início da sua carreira no Civil, inclusive a estrutura dos tribunais. Olha só!

A estrutura dos tribunais que julgam causas cíveis

Bom, ao atuar no Civil, você vai trabalhar na Justiça Comum e também nos Tribunais Superiores caso vá para o último grau de jurisdição.

Vejo muito colega adv que só finge saber qual a estrutura de cada tribunal e trocam os pés pelas mãos!

Pensando nisso, neste tópico vou te dar o caminho das pedras sobre como funcionam os tribunais que julgam as causas cíveis em que você vai atuar.

Pra começo de conversa, é importante você saber que a Justiça comum é divida em duas: Estadual e Federal.

Bora falar primeiro da Justiça Estadual, certo?!

A Justiça Estadual tem competência residual, ou seja, ela vai julgar matérias que não sejam de competência dos demais segmentos do judiciário (Federal, Trabalho, Eleitoral e Militar).

Aqui serão julgadas quase todas as ações cíveis, como as de cobrança e revisionais de aluguéis, divórcio, possessórias.

Ela está presente em todas as unidades da federação e engloba a maior parte dos processos judiciais.

Sua estrutura é dividida em duas instâncias ou graus de jurisdição, olha só:

  • Primeiro grau: composto pelos juízes de Direito, pelas varas, pelos fóruns, pelos tribunais do júri (encarregados de julgar crimes dolosos contra a vida), pelos juizados especiais estaduais e suas turmas recursais
  • Segundo grau: é representado pelos Tribunais de Justiça (TJs). Nele, os(as) magistrados(as) são desembargadores(as), que têm entre as principais atribuições o julgamento de demandas de competência originária e de recursos interpostos contra decisões proferidas no primeiro grau

Além disso, na Estadual também tem os Juizados Especiais,

Neles, você vai ajuizar causas cíveis de menor complexidade e que não ultrapassem o valor de 40 vezes o salário mínimo vigente.

Já a Justiça Federal é a competente pra julgar as causas em que sejam partes:

  • a União
  • entidades autárquicas
  • empresas públicas federais

Aqui você vai ingressar com a ação de revisão do FGTS, por exemplo.

Na Justiça Federal, existem também os Juizados Especiais Federais que julgam causas de competência da Justiça Federal até o valor de 60 salários mínimos.

Sua estrutura é constituída pelos Tribunais Regionais Federais e pelos juízes federais, divididos por grau de jurisdição, olha só:

  • Primeiro grau: cada estado possui uma seção judiciária, formadas por um conjunto de varas federais, em que atuam os juízes federais que julgam a maior parte das ações submetidas à Justiça Federal
  • Segundo grau: é composto por cinco Tribunais Regionais Federais (TRFs), com sedes em Brasília (TRF 1ª Região), Rio de Janeiro (TRF 2ª Região), São Paulo (TRF 3ª Região), Porto Alegre (TRF 4ª Região) e Recife (TRF 5ª Região). Cada TRF engloba duas ou mais seções judiciárias, desta forma:
    • TRF 1ª Região: Acre, Amapá, Amazonas, Bahia, Distrito Federal, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Minas Gerais, Pará, Piauí, Rondônia, Roraima e Tocantins
    • TRF 2ª Região: Espírito Santo e Rio de Janeiro
    • TRF 3ª Região: Mato Grosso do Sul e São Paulo
    • TRF 4ª Região: Paraná, Rio Grande do Sul e Santa Catarina
    • TRF 5ª Região: Alagoas, Ceará, Paraíba, Pernambuco, Rio Grande do Norte e Sergipe

Ah, e tem um detalhe importante: se em uma comarca não houver vara federal, você não precisa se preocupar, os juízes estaduais que julgam os processos.

A Justiça Comum representa mais de 70% das unidades do Poder Judiciário e é onde você vai ajuizar causas cíveis.

No diagrama do Conselho Nacional de Justiça divulgado em 2021 você pode ver isso documentado:

Qual a melhor maneira de começar a estudar Direito Civil?
Como eu te contei antes, isso é um reflexo do grande número de processos cíveis que tramitam na Justiça Estadual e Federal.

Agora que você já sabe como é a estrutura dos tribunais em que você vai atuar na área cível, tem outra questão importante no ar…

Quanto tempo demora uma ação cível?

Bom, essa é tipo a pergunta do milhão, não é mesmo?!

Não é só o adv que gosta de saber o tempo de duração de um processo…

Aposto que você já escutou a pergunta clássica de todo cliente: quanto tempo demora minha ação, Dr?

Bom, aqui, como quase tudo no Direito, a resposta é “depende”.

Afinal, depende do tipo, fase processual, grau de jurisdição e tribunal competente.

Olha só o tempo médio de um processo na Justiça Comum em 1º grau até ocorrer a baixa:

  • Justiça Estadual
    • Processo de Conhecimento: 3 anos e 4 meses
    • Execução: 7 anos e 2 meses
  • Justiça Federal
    • Processo de Conhecimento: 2 anos e 2 meses
    • Execução: 8 anos e 11 meses

Já em 2º grau, os processos tramitam mais rápidos, dá uma olhada:

  • Justiça Estadual: 11 meses
  • Justiça Federal: 2 anos e 3 meses

Por fim, há também o tempo médio dos Juizados Especiais:

  • Juizados Especiais Estaduais:
    • Processo de Conhecimento: 1 ano e 8 meses
    • Execução: 1 ano e 2 meses
  • Juizados Especiais Estaduais:
    • Processo de Conhecimento: 1 ano e 9 meses
    • Execução: 1 ano e 6 meses

Pra ficar mais fácil de você visualizar quanto tempo demora uma ação cível, olha só um infográfico preparado pelo CNJ:

Quanto tempo demora uma ação cível?
Viu só como depende do caso específico do seu cliente?!

Ótimo! Agora você já tem todos os dados necessários pra analisar caso a caso e informar logo de cara pro seu cliente o tempo médio que o processo dele vai levar.

Percebeu que nos Juizados Especiais o processo termina mais rápido?

Pois é! Então, se o valor da causa não ultrapassar os limites, é uma boa escolha apostar nesta via judicial.

Atenção pra dica: com o CJ, dá pra você poupar tempo e fazer uma análise rapidinha da questão do seu cliente e logo de cara já passar pra ele uma estimativa de ganho do processo. Demais né?!

Ele já sai do escritório sabendo o tempo médio e o quanto de dinheiro pode ganhar.

De quebra, você também já tem noção dos seus honorários advocatícios.

Ah, só um detalhe: não esqueça que você pode atuar de forma consultiva também e resolver os problemas de forma extrajudicial.

Aí você pode até cobrar antecipado e compor mais rápido a renda do seu escritório.

Prontinho! Você já sabe a estrutura dos tribunais e o tempo que demora uma ação cível.

Então continua aqui comigo pra conhecer as principais ações que pode atuar pra alavancar seus lucros.

O que você precisa pra começar na área cível agora

Iniciar em uma área tão grande como a cível sem os parceiros certos do seu lado pode ser assustador e trazer vários erros…

Mas isso não vai acontecer com você…

Com a minha ajuda e a do CJ, você vai sair da leitura deste post com tudo o que precisa pra começar a advogar na área cível com tranquilidade ainda hoje.

Se liga nas dicas preciosas que vou te contar…

Dica 1: Joga o medo para o alto e vem curtir novas áreas

Você viu antes que explorar as opções é muito importante pra quem advoga.

Então joga pro alto esse medo de se aventurar na área cível e descubra um novo universo apaixonante pra você advogar.

Claro, é normal o frio que dá na barriga antes de embarcar em novas aventuras.

Mas sabe o que superar esse medo e aproveitar novas áreas?!

Estudar com a ajuda do aliado certo!

Já ouviu aquele ditado de que conhecimento é poder?

Pois é! Uma coisa é certa: você precisa tirar um tempinho pra estudar e ficar fera no direito civil.

Se fizer isso, já sai na frente de muitos colegas que advogam, mas não conhecem de verdade a matéria.

Aqui no Blog do CJ tem vários artigos super legais de diversas áreas, inclusive a cível.

Separei aqui pra você o meu top 4 de temas que estão bombando e que vão render muitos lucros pro seu escritório, olha só:

  1. Revisão do FGTS:

    Saiba tudo o que é preciso para ajuizar a ação

    7 ferramentas essenciais pra ajuizar a ação

  2. Ações de Aluguéis

    Saiba como faturar mais com ações de aluguéis

    O que é preciso pra ajuizar e como calcular

  3. Revisão do PASEP

    O guia definitivo 2022

  4. Ações Bancárias

    Como ajuizar uma Ação Revisional Bancária: Guia para advogados

    Os 5 abusos bancários mais comuns no contrato do cliente

Essas são as matérias cíveis mais quentes do momento e que você pode apostar, pois, são tiros certeiros

São temas valiosos pra você expandir o conhecimento e, como consequência, seus lucros.

Vai fundo na leitura e deixa o medo de começar em uma nova área no passado.

Se você tiver alguma dúvida ou quiser alguma outra dica de tema civel, me conta nos comentários.

Bônus: o CJ tem dezenas de guias, infográficos, vídeos e outros materiais gratuitos que vão simplificar seus estudos e te preparar pro mundo do Direito Civil. Tá tudo aqui. Aproveite!

Agora vem comigo pra próxima dica.

Dica 2: Tenha as melhores ferramentas de trabalho do seu lado

Não adianta! Ter boas ferramentas de trabalho é essencial pra produzir mais e com mais qualidade e a poupar tempo.

Só que você precisa ter as melhores do seu lado.

Acredite no que te digo: isso vai facilitar demais a sua vida profissional.

E foi pensando nisso que separei pra você as 4 ferramentas que todo advogado precisa ter no dia a dia:

Pra você entender como usar cada uma e sair na frente de muita gente no Direito Civil, vou te dar uma palhinha de quanta coisa incrível dá pra fazer com elas. ?!

Vem comigo!

1. Software de Cálculos Cíveis: um coringa no dia a dia do advogado

Você não precisa ter medo dos cálculos cíveis.

O motivo? Ter um software que faz os cálculos pra você é a solução dos seus problemas.

Com o programa do Cálculo Jurídico, você faz os cálculos de forma super rápida e prática, com muita segurança e sem ter chance de cometer algum errinho na hora de fazer na mão.

É tanta praticidade que você vai conseguir poupar tempo pra prospectar e atender os clientes com todo o carinho e cuidado que eles merecem.

Olha só quais cálculos cíveis você pode fazer agora no CJ:

  • Revisão do FGTS
  • Atualização de Débitos Judiciais
  • Valores de Aluguéis
  • Empréstimos e Financiamentos
  • Revisão do PASEP

Deu pra sentir o cheirinho da quantidade de ações que você pode atuar com a ajuda do CJ?!

Pois é! E o melhor é que você conta com a ajuda do suporte incrível em tempo real do nosso time de especialistas que estão prontos pra tirar qualquer dúvida sobre o programa.

Se você ainda não é assinante do Cálculo Jurídico, faça um teste agora e descubra a facilidade e segurança que é ter o melhor software do seu lado.

2. Calculadoras Cíveis Gratuitas pra você conquistar o cliente logo no primeiro atendimento

Já imaginou conseguir passar uma previsão pro cliente logo de cara quando ele chega no seu escritório?

Aposto que ele vai sair de lá sorrindo de orelha a orelha e com o contrato fechado com você! hehe

Pois é! E com a ajuda do CJ, isto agora é realidade.

Afinal, o Cálculo Jurídico disponibiliza pra você 4 calculadoras cíveis totalmente gratuitas, olha só:

Viu só quanta calculadora gratuita incrível o CJ preparou pra você?!

Com elas, você vai conseguir fisgar o cliente logo no primeiro atendimento.

Me conta nos comentários se você já usou alguma e como foi sua experiência.

Mas e aí, bora para o pulo do gato das ferramentas essenciais do advogado cível?

3. Banco com modelos de petições

Esse aqui é o suprassumo no dia a dia do adv.

Ter um banco com modelos de petições super bem embasadas facilita demais a sua vida.

Ainda mais se forem petições atualizadas, recheadas de jurisprudências e prontas pra serem usadas no caso do seu cliente.

E é por isso que o CJ preparou um banco incrível de petições de várias áreas (cível, tributária, previdenciária, trabalhista).

São peças preparadas com muito cuidado pelo nosso time de advogados especialistas.

É só procurar a que você precisa e adaptar pro caso do seu cliente a qualquer momento.

Vai te ajudar a poupar tempo e trabalho, confia no que te digo.

Mas ainda não acabou! Tem mais uma ferramenta que vai transformar a sua rotina na Advocacia.

4. Cursos exclusivos sobre os temas mais quentes

O CJ pensa em tudo!

Além dos modelos de petições, você também tem acesso a vários cursos exclusivos sobre os temas que estão bombando no mundo jurídico.

Lembra que eu te contei que estudar é super importante quando a gente vai dar o primeiro passo pra novas aventuras?!

Pois é, então imagina como esses cursos vão cair como uma luva no seu caminho no Direito Civil!

Afinal, são cursos exclusivos que vão te ajudar a aprimorar e aprofundar seu conhecimento.

Aí é só aplicar os novos aprendizados, e ter muito mais sucesso nas ações.

Por isso, se eu fosse você, assim que terminar a leitura aqui, já começava a assistir o curso prático da Revisão do FGTS preparado pelo Adv. Rafael Beltrão.

E falando em terminar, bora pra última dica de ouro que separei pro seu início do Civil.

Dica 3: Aprenda sobre gestão dos clientes

Pra finalizar com chave de ouro, vou te contar um segredo que vale pra todos os ramos jurídicos.

Anota aí: você precisa investir em aprender sobre gestão dos clientes.

Ter a cultura de um bom atendimento ao cliente é o que vai fazer você alavancar seus lucros.

O motivo? Cliente feliz e realizado indica seu escritório pra amigos e parentes.

Assim, sua carteira de clientes vai só expandir.

Mas não basta só encher o escritório de atendimento, é importante também aprender a organizar e gerenciar todos eles.

Não dá pra perder documentos e demorar horas e horas pra encontrar, não é mesmo?!

Então… É por isso que, pra te ajudar, vou deixar aqui dois artigos práticos que descomplicam a gestão e o atendimento ao cliente:

Ah, e sabe o que facilita muito esse processo?

No Cálculo Jurídico você consegue registrar as interações com os clientes e ainda pode salvar os documentos entregues de forma organizada e eficiente.

Escreve o que digo: essa ferramenta do CJ vai te ajudar demais a poupar tempo e fazer uma boa gestão do seu escritório.

Conclusão

As oportunidades pra atuar no Direito Civil estão batendo na sua porta e você só precisa atender.

Afinal, como você viu neste post, a maior área do direito está mais aquecida do que nunca e pronta pra te receber de braços abertos.

E o melhor é que, depois do que conheceu por aqui, se aventurar nessa área tão lucrativa vai ser moleza!

No post, você descobriu, por exemplo: :

  • Que o mercado cível está pegando fogo com demandas em várias frentes de atuação
  • Onde você pode atuar
  • O que você precisa pra começar na área
  • Quais as ações mais comuns
  • E muito mais!

Com todo o conhecimento, agora você tem na mão armas poderosas pra iniciar na área cível na frente de muitos colegas.

Pois é! Se você aplicar todas as dicas que descobriu com essa leitura, o sucesso é garantido.

Bom, vou ficando por aqui, mas não antes de te perguntar se ficou com alguma dúvida.

Se sim, me conta nos comentários e aproveita pra contar como foi o seu começo na área cível.

Vou adorar conversar com você!

Abraços e até a próxima.

Faça cálculos precisos em minutos

Assista cursos exclusivos

Acesse dezenas de modelos de petições
Cálculo Jurídico - múltiplos serviços Experimente o CJ

O CJ é o software de cálculos para advogados feito pensando em produtividade.
O CJ acaba com a dor de cabeça dos cálculos e te dá mais tempo para advogar e ganhar mais dinheiro. Faça hoje um teste com garantia de dinheiro de volta e comprove.

Artigos relacionados

Deixe um comentário aqui embaixo, vou adorar saber o que você achou!